Contam que houve uma porção de enforcados. E as caveiras espetadas nos postes

literatura e oralidade na Revolta dos escravos de Carrancas (1833)

Autores

  • Marcos Ferreira de Andrade UFSJ

Palavras-chave:

História, literatura, Memória, Revolta de Carrancas

Resumo

O objetivo deste artigo consiste em discutir a relação entre história, literatura e memória, procurando demonstrar a importância das duas fontes para a construção da representação historiográfica em relação à Revolta de Carrancas (1833). A partir da análise do poema “Levante”, de Oswald de Andrade, publicado em 1925 na obra Pau Brasil, procurar-se-á estabelecer um diálogo com os resultados da pesquisa sobre a memória oral da insurreição. Levanta-se a hipótese de que o referido poema está associado à memória senhorial e coletiva da revolta, tendo esta atravessado os séculos, chegando até os dias atuais.

Downloads

Publicado

2021-09-23

Edição

Seção

Artigos