Ciências sociais, diplomacia e colonialismo tardio: a participação portuguesa na Comissão de Cooperação Técnica na África ao Sul do Saara (CCTA)

Autores

  • Frederico Ágoas Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (Cics-Nova-FCSH). http://orcid.org/0000-0001-7045-7688
  • Cláudia Castelo Centro de Estudos Sociais, Universidade Coimbra (CES-UC). http://orcid.org/0000-0001-7403-4404

Palavras-chave:

Colonialismo, Portugal, CCTA, Unesco

Resumo

Instituída no segundo pós-guerra, num contexto de crescente contestação ao colonialismo e como resposta das potências coloniais europeias ao interesse científico das Nações Unidas e de círculos académicos norte-americanos pela África, a Comissão de Cooperação Técnica na África ao Sul do Saara (CCTA) revelou uma atenção particular aos estudos sociais, estabelecendo uma agenda de pesquisas paralela à da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Com base nos arquivos diplomático e científico colonial, o artigo analisa a atividade da CCTA naquele domínio e, sobretudo, a participação portuguesa nessas dinâmicas, determinando a importância relativa do país na sua promoção e seus reflexos no campo das ciências sociais em Portugal.

Biografia do Autor

Frederico Ágoas, Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (Cics-Nova-FCSH).

Pesquisador do Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (Cics-Nova-FCSH).

Cláudia Castelo, Centro de Estudos Sociais, Universidade Coimbra (CES-UC).

Pesquisador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES-UC).

Referências

ABRANTES, Carla. “Problemas” e “soluções” para a gestão de Angola: um estudo a partir do ensino superior de administração colonial em Lisboa (1950-1960). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2012.

ÁGOAS, Frederico. Estado, universidade e ciências sociais: a introdução da sociologia na Escola Superior Colonial. In: JERÓNIMO, Miguel Bandeira (org.). O Império Colonial em questão (sécs. XIX-XX): poderes, saberes e instituições. Lisboa: Edições 70, 2012.

ALEXANDRE, Valentim. Contra o vento: Portugal, o Império e a maré anticolonial (1945-1960). Lisboa: Temas e Debates, 2017.

CASTELO, Cláudia. Investigação científica e política colonial portuguesa: evolução e articulações, 1936-1974. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 19, n. 2, 2012.

CCTA. Sciences Humaines. Conférence Interafricaine. 1ère Réunion. Bukavu 1955. Londres: CCTA, 1955.

COOPER, Frederick. Development, modernization, and the social sciences in the era of decolonization: the examples of British and French Africa. Revue d’Histoire des Sciences Humaines, n. 10, 2004.

COOPER, Fredrick; PACKARD, Randall (eds.). International development and the social sciences: essays on the History and Politics of Knowledge. Berkeley: University of California Press, 1997.

GALLO, Donato. Antropologia e colonialismo: o saber português. Lisboa: Heptágono, 1988.

GRUHN, Isebill. Commission for Technical Co-operation in Africa, 1950-65. The Journal of Modern African Studies, v. 9, n. 3, 1971.

HENRY, Paul-Marc. Introduction. In: CCTA/CSA. Cooperation Scientifique et Technique em Afrique au Sud du Sahara, 1948-1955. Londres: CCTA/CSA, 1955.

INTERNATIONAL AFRICAN INSTITUTE. Social implications of industrialization and urbanization in Africa South of the Sahara. Paris: Unesco, 1956.

JERÓNIMO, Miguel Bandeira. A modernizing empire? Politics, culture and economy in Portuguese late colonialism”. In:

JERÓNIMO, Miguel Bandeira; PINTO, António Costa (eds.). The Ends of European Colonial Empires. Nova York: Palgrave MacMillan, 2015.

KENT, John. The creation and development of the CCTA, 1950-1956. In: KENT, John. The internationalization of colonialism: Britain, France, and Black Africa, 1939-1956. Oxford: Clarendon Press/ Nova York: Oxford University Press, 1992.

MARGARIDO, Alfredo. Le colonialisme portugais et l’anthropologie. In: COPANS, Jean (ed.). Anthropologie et impérialisme. Paris: François Maspero, 1975.

OLIVEIRA, Pedro Aires. Os despojos da aliança: a Grã-bretanha e a questão colonial portuguesa (1945-1975). Lisboa: Tinta-da-China, 2007.

PEARSON-PATEL, Jessica. Promoting Health, Protecting Empire: Inter-Colonial Medical Cooperation in Postwar Africa. Monde(s), v. 7, n. 1, 2015.

PÉLISSIER, René. L’Afrique portugaise dans les publications de la Junta de Investigações do Ultramar (Lisbonne). In: PÉLISSIER, René. Africana: bibliographies sur l’Afrique luso-hispanophone. Orgeval: Éditions Pélissier, 1980.

PEREIRA, Rui. Conhecer para dominar: o desenvolvimento do conhecimento antropológico na Política Colonial portuguesa em Moçambique (1926-1959). Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2005.

ROQUE, Ricardo. Antropologia e Império: Fonseca Cardoso e a expedição à Índia em 1895. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2001.

SILVA, Felipe Carreira da. Sociology in Portugal: a Short History. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2016.

STEINMETZ, George. Sociology and Colonialism in the British and French Empires, 1945-1965. The Journal of Modern History, v. 89, n. 3, 2017.

VIGIER, Daniel. La Commission de coopération technique en Afrique au Sud du Sahara, Politique étrangère, n. 3, 1954.

Downloads

Publicado

2019-08-01