O pobre solo do celeiro do mundo: desenvolvimento florestal e combate à fome na Amazônia

Autores

Palavras-chave:

história da Amazônia, história da FAO, cooperação internacional

Resumo

O artigo trata das ações de agências internacionais nos projetos de desenvolvimento para a Região Amazônica nas décadas de 1950 e 1960. A FAO e UNICEF trabalharam com o objetivo, respectivamente, de desenvolver uma economia florestal e de diminuir a fome na Amazônia. O texto expõe que estas agências tiveram que se adaptar às particularidades locais, e em alguns momentos apresentaram ruídos com autoridades brasileiras e impressões peculiares sobre a Amazônia e seus habitantes.

Biografia do Autor

Rômulo de Paula Andrade, Casa de Oswaldo Cruz/Fundação Oswaldo Cruz

Depertamento de Pesquisa (DEPES) da Casa de Oswaldo Cruz (COC), Sala 404.

Referências

ACKERMANN, Fritz L. Relatório de viagem de pesquisas sobre um suposto depósito de minério de estanho (cassiterite) no Rio Machadinho, afluente do Rio Ji-Paraná – Território Federal do Guaporé. Belém: FAO, s/d [1960].

BATISTA, Djalma. O complexo da Amazônia (análise do processo de desenvolvimento). Rio de Janeiro: Editora Conquista, 1976.

BIZZO, Maria Letícia, Galluzzi. Agências internacionais e agenda local: atores e ideias na interlocução entre nutrição e país (1932-1964). Tese (Doutorado – Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde), Casa de Oswaldo Cruz, Fiocruz. Rio de Janeiro, 2012.

BRASIL. A visita do presidente Vargas e as esperanças de ressurgimento do Amazonas. Manaus: Imprensa Pública, Departamento Estadual de Imprensa e Propaganda do Amazonas, 1940.

_____. Diário do Congresso Nacional, 22/08/1958 e 20/11/1959.

_____. Planejamento transforma a Amazônia. Belém: SPVEA, 1960.

_____. Primeiro Plano Quinquenal. SPVEA – Setor de Coordenação e Divulgação, 1955.

CAMPOS, André Luiz Vieira. Políticas internacionais de saúde na Era Vargas – o Serviço Especial de Saúde Pública, 1942-1960. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2006.

CAVALCANTI, Mário de Barros. Relatórios SPVEA –1964-1966. Da Spvea à Sudam (1964-1967). Belém, março de 1967.

CNME. I Semana da Merenda Escolar. In: Boletim da Campanha Nacional da Merenda Escolar. Rio de Janeiro, 1957.

COIMBRA, Marcos; MEIRA, João Francisco Pereira; LIMA, Mônica Barros. Comer e aprender: uma história da alimentação escolar no Brasil. Relatório final da pesquisa Alimentação escolar no Brasil: política e instituição. Belo Horizonte: Instituto Nacional de Assistência ao Estudante do Ministério da Educação e Cultura, março de 1982.

CUETO, Marcos; HOCHMAN, Gilberto. Apresentação. Hist. cienc. saúde-Manguinhos [online], v. 22, n. 1, 2015, pp. 175-176.

D’ARAÚJO, Maria Celina. Amazônia e desenvolvimento à luz das políticas governamentais: a experiência dos anos 50. Revista Brasileira de Ciências Sociais, ano 7, nº 19, junho de 1992.

ESCOBAR, Arturo. La invención del tercer mundo: construcción e desconstrución del desarrollo. S. l: Grupo Editorial Norma, 1998.

FAO. Crop Production in selected areas in the Amazon Valley. FAO Report nº1254. Report to the Government of Brazil. Rome, 1960.

_____. Development of grazing and fodder resources in the Amazon Valley. FAO Report n°1238. Report to the Government of Brazil. Rome, 1960.

GACHOT, René; GALLANT, M. N.; MCGRATH, K. P. Desenvolvimento florestal no Vale do Amazonas – Relatório ao governo do Brasil (FAO Report nº171), 1960.

GARFIELD, Seth. A luta indígena no coração do Brasil: política indigenista, a Marcha para o Oeste e os índios xavante (1937-1988). São Paulo: Editora Unesp, 2011.

_____. In search of the Amazon: Brazil, the United States, and the nature of a region. Duke University Press, 2013.

GILLESPIE, James A. International organizations and the problem of child health, 1945-1960. Dynamis. Acta hisp.Med.Sci.His.Illus, n. 23, 2003.

GONDIM, Neide. A invenção da Amazônia. São Paulo: Editora Marco Zero, 1994.

HARTMANN, Betsy. Population control I: birth of an ideology. International Journal of Health Services, vol. 27, n. 3, 1997.

HEINSDIJK, Dammis. Forest survey in the Amazon Valley. Unasylva, v. 15, n. 4, 1961.

_____; BASTOS, A. de Miranda. Boletim nº6 – Inventários florestais na Amazônia. Ministério da Agricultura – Serviço Florestal – Setor de Inventários Florestais. Rio de Janeiro, 1963.

HOCHMAN, Gilberto. From autonomy to partial alignment: national malaria programs in the time of global eradication, Brazil. CBMH/BCHM, 25:1, 2008, p.184.

_____; BIRN, Anne Emanuelle. Carta dos editores convidados, Hist. cienc. saúde-Manguinhos, v.13, n.3, Rio de Janeiro, julho/setembro 2006.

IORIS, Edviges Marta. Na trilha do manejo científico da floresta tropical: indústria madeireira e florestas nacionais. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi – Ciências Humanas. Belém, v. 3, n. 3, set-dez 2008.

KNOWLES, O. H. Perspectiva das oportunidades de investimentos no desenvolvimento da indústria florestal da Amazônia brasileira. Belém, Assessoria de Programação e Coordenação, Divisão de Documentação, SUDAM, 1971.

KUBITSCHEK, Juscelino. Por que construí Brasília. Brasília: Senado Federal – Coleção Brasil 500 Anos, 2000.

LATHAM, Michael. Modernization as ideology. American Social Sciences and the “Nation Building” in the Kennedy Era. Chapel Hill: The University of North Caroline Press, 2000.

MACEDO, Sidiana da Consolação Ferreira. Do que se come – uma história do abastecimento e da alimentação em Belém (1850-1900). São Paulo: Ed. Alameda, 2014.

MAHADEVAN, C. Relatório sobre o reconhecimento geológico das regiões do rio Machadinho e o rio Jaci-Paraná-Rio Branco, Território de Rondônia. Relatório FAO nº1538. Belém, 26 de maio de 1956.

MAIA, João Marcelo. Estado, território e imaginação espacial: o caso da Fundação Brasil Central. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2012.

MAIO, Marcos Chor; SÁ, Magali Romero. Ciência na periferia: a Unesco, a proposta de criação do Instituto Internacional da Hileia Amazônica e as origens do Inpa. História, Ciências, Saúde-Manguinhos (Impresso). Rio de Janeiro, v. 6, 2000.

MOREIRA, Eidorfe. Conceito de Amazônia. SPVEA – Setor de Coordenação e Divulgação. Belém, 1956.

NUNES, Francivaldo Alves. Sob o signo do moderno cultivo: Estado Imperial e agricultura na Amazônia. Tese (Doutorado), Nitérói, UFF, 2011.

REIS, Arthur César Ferreira. População e ocupação territorial. Painel do Desenvolvimento Social da Amazônia. Confederação Nacional do Comércio. Belém, 1977.

SACHS, Wolfgang. Introduction. In: SACHS, Wolfgang (ed.). The development dictionary – a guide to knowledge as power. New York: Zed Books, 1999.

SECRETO, Maria Verônica. A ocupação dos “espaços vazios” no governo Vargas: do “discurso do Rio Amazonas” à saga dos soldados da borracha. Estudos Históricos, n. 40, jul-dez. 2007.

SHRIMPTON, Roger. Nutrição em lactentes de um bairro de Manaus, Amazonas. Acta Amazonica 7(2), 1976.

STAPLES, Amy L. Constructing international identity: the World Bank, Food and Agriculture Organization and the world health organization. Dissertation, The Ohio State University, 1998.

SUTMOLLER, Paul. Veterinary medicine in the Amazon Valley – Contributions to the knowledge of animal diseases in particular of mineral deficiencies. Rome: FAO, 1960.

VELHO, Otávio Guilherme. Capitalismo autoritário e campesinato. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais (edição on-line), 2009.

Downloads

Publicado

2015-12-19

Edição

Seção

Artigos