Percepções da responsabilidade social no setor público: o caso do Instituto da Segurança Social

Autores

  • Maria da Graça Gasalho
  • Maria Margarida Croca Piteira

Resumo

O presente trabalho tem subjacentes dois objetivos: compreender a perceção dos colaboradores de um Instituto Público (IP) quanto ao papel da Responsabilidade Social Organizacional (RSO); e identificar práticas organizacionais para uma política socialmente responsável. Seguiu-se uma metodologia quantitativa, adaptando-se o questionário desenvolvido pelo Grupo GRACE/Ethos (2004, 2011) – o Guia Prático para a Responsabilidade Social das Empresas. Os resultados do estudo demonstram que os colaboradores de um IP encontram-se comprometidos com as práticas de gestão no domínio da RSO, os colaboradores detentores de um grau de ensino superior atribuem maior importância às questões gerais da RSO, e os colaboradores mais novos, em idade e antiguidade, atribuem maior relevância às práticas internas da RSO. Verificadas as diferenças estatisticamente significativas, esta análise faz emergir, assim, novas hipóteses a serem futuramente exploradas. Consequentemente está a contribuir-se para o reforço do conhecimento em áreas onde este ainda escasseia: as práticas de gestão de recursos humanos promotoras de uma maior RSO e a perceção dos colaboradores sobre o que é ser socialmente responsável, enquanto organização pública, a qual já deve ter este princípio inscrito na sua missão.

Downloads

Publicado

2015-09-21

Como Citar

GASALHO, M. da G.; PITEIRA, M. M. C. Percepções da responsabilidade social no setor público: o caso do Instituto da Segurança Social. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, Rio de Janeiro, RJ, v. 14, n. 3, p. 63–78, 2015. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rbpg/article/view/78422. Acesso em: 21 jan. 2022.

Edição

Seção

Casos