Competências profissionais e modernidade organizacional: coerência ou contradição?

Conteúdo do artigo principal

Zélia Miranda Kilimnik
Anderson de Souza Sant’anna
Talita Ribeiro da Luz

Resumo

Este artigo investiga, por meio de estudo de campo envolvendo a aplicação de 220 questionários, a percepção de pós-graduandos e pós-graduados em telecomunicações, acerca da demanda por competências profissionais e do grau de modernidade das políticas de gestão das organizações em que atuam. Como referencial teórico, fez-se uso da abordagem de modernidade organizacional (Eboli, 1996), assim como de revisão de abordagens sobre competência, realizada por Sant’anna (2002). Quanto aos resultados, encontrou-se um elevado grau de demanda pelo conjunto das competências avaliadas, que, entretanto, apresentou uma fraca correlação com o grau de modernidade organizacional percebido, cujos escores revelaram-se mais baixos, indicando que a exigência por profissionais dotados de competências cada vez mais abrangentes não tem sido acompanhada por uma modernidade de políticas e práticas organizacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
KILIMNIK, Z. M.; SANT’ANNA, A. de S.; LUZ, T. R. da. Competências profissionais e modernidade organizacional: coerência ou contradição?. RAE-Revista de Administração de Empresas, [S. l.], v. 44, p. 10–21, 2004. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rae/article/view/37273. Acesso em: 26 maio. 2022.
Seção
Gestão de pessoas