Gestão participativa como instrumento de inclusão democrática: o caso dos comitês gestores de bairro do Programa Nova Baixada

Autores

  • Juliana Guaraná
  • Sonia Fleury

Palavras-chave:

Democracia, Participação Popular, Civismo, Programa Nova Baixada, Comitês Gestores de Bairro

Resumo

Este artigo aborda a experiência dos Comitês Gestores de Bairro, canais de gestão participativa introduzidos na Baixada Fluminense pelo Governo Estadual do Rio de Janeiro para garantir a participação de moradores nas discussões referentes à implementação do Programa Nova Baixada. Para averiguar as potencialidades e os obstáculos encontrados por estes canais de participação nas decisões políticas locais e verificar se funcionaram efetivamente como instrumentos de inclusão democrática, utilizaram-se dados de uma pesquisa de campo realizada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro em 2005, que entrevistou moradores das áreas beneficiadas pelo Programa, membros dos Comitês e gestores do programa. Os resultados revelaram a hierarquização no processo decisório e a baixa participação da maioria da população nas deliberações, restringindo o funcionamento dos Comitês como instâncias participativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-07-01

Como Citar

GUARANÁ, J.; FLEURY, S. Gestão participativa como instrumento de inclusão democrática: o caso dos comitês gestores de bairro do Programa Nova Baixada. RAE-Revista de Administração de Empresas, [S. l.], v. 48, n. 3, p. 94–103, 2008. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rae/article/view/36695. Acesso em: 29 nov. 2021.

Edição

Seção

Fórum