Promessas e resultados da nova gestão pública no Brasil: o caso das organizações sociais de saúde em São Paulo

Autores

  • Hironobu Sano
  • Fernando Luiz Abrucio

Palavras-chave:

Nova Gestão Pública, organizações sociais, reforma do Estado, flexibilização administrativa, accountability, controles horizontais e sociais

Resumo

O modelo da Nova Gestão Pública (NGP) espalhou-se pelo mundo com a promessa de atacar dois males burocráticos: o excesso de procedimentos e a baixa responsabilização dos burocratas frente ao sistema político e à sociedade. A proposta básica foi flexibilizar a administração pública e aumentar a accountability com uma nova forma de provisão dos serviços, baseada na criação de entidades públicas não estatais como as organizações sociais (OS). No Brasil, a experiência reformista se inicia em 1995 com as idéias do Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. No campo da saúde, o caso de São Paulo constitui um caso paradigmático para avaliar a implantação da NGP no Brasil. A promessa de maior accountability avançou, mas ainda não alterou o insulamento do Poder Executivo e a baixa capacidade de controle institucional e social sobre ele.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-07-01

Como Citar

SANO, H.; ABRUCIO, F. L. Promessas e resultados da nova gestão pública no Brasil: o caso das organizações sociais de saúde em São Paulo. RAE-Revista de Administração de Empresas, [S. l.], v. 48, n. 3, p. 64–80, 2008. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rae/article/view/36670. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Fórum