Mecanismos de governança: uma questão ainda não tão familiar

Conteúdo do artigo principal

Verônica Andréa Lima Gouveia
Ana Carolina Pimentel Duarte da Fonseca

Resumo

O caso tem como objetivo discutir as especificidades dos mecanismos de governança em empresas familiares. Após enfrentar problemas financeiros e pessoais, o diretor-presidente de um hospital pediátrico decide que é hora de seus dois herdeiros entenderem o negócio para uma futura sucessão. Os três unem-se em um curso de gestão de empresas familiares para entenderem quais mecanismos de governança são úteis ao negócio. Durante o curso, percebem que nenhum dos mecanismos de governança descritos na literatura existe na empresa com 60 anos no mercado. Como sobreviveram até agora, então? Quais os mecanismos existentes na empresa?

Detalhes do artigo

Seção
Casos
Biografia do Autor

Ana Carolina Pimentel Duarte da Fonseca, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutora em Administração pelo Instituto de Pós- Graduação e Pesquisa em Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPEAD/ UFRJ). Professora Titular da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro (FACC/UFRJ), onde leciona no Curso de Administração (graduação) e no mestrado em Ciências Contábeis. Dentro do mestrado em Ciências Contábeis, participa do projeto de pesquisa sobre Empresas Brasileiras em um Contexto Internacionalizado. Tem desenvolvido pesquisas nas áreas de Cultura Organizacional, Controle Gerencial, Estratégia, Gestão Pública e Gestão Internacional.