No limite da razão: o deliberar e a phrónesis no trabalho prisional

Conteúdo do artigo principal

Resumo

Este estudo teve por objetivo verificar na experiência dos agentes penitenciários, em um complexo prisional de segurança máxima, elementos que caracterizem um quadro de evidências da phrónesis. A phrónesis foi descrita na filosofia aristotélica como a virtude de ordem prática que pressupõe o deliberar em situações críticas, onde a racionalidade dos agentes é limitada por contextos muito específicos de ação. A noção de phrónesis ilumina novas perspectivas para compreender a racionalidade em circunstâncias contingenciais da práxis organizacional. Trata-se de pesquisa empreendida a partir de uma análise microssociológica das práticas dos agentes no trabalho prisional. Os dados foram coletados por meio de entrevistas e triangulados com observação em campo e análise de documentos. Os resultados desta pesquisa ilustram evidências da phrónesis a partir da análise da experiência dos agentes na contenção de ações do crime organizado no interior do complexo prisional e nos efeitos produzidos na gestão com base nessa experiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Caitano, D. O., & Serva, M. (2020). No limite da razão: o deliberar e a phrónesis no trabalho prisional. Cadernos EBAPE.BR, 18(Especial), 821–835. Recuperado de https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cadernosebape/article/view/82427
Seção
Artigos