Show simple item record

dc.contributor.authorNeri, Marcelo Côrtes
dc.contributor.authorXerez, Marcelo
dc.date.accessioned2008-05-13T15:45:42Z
dc.date.available2008-05-13T15:45:42Z
dc.date.issued2004-08-01
dc.identifier.issn0104-8910
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10438/993
dc.description.abstractNeri e Xerez (2003) discutem a racionalidade econômica para o desenvolvimento de um sistema de metas sociais a partir de variantes estáticas do modelo agente-principal. Este sistema atua como forma do governo federal aumentar a eficiência na utilização dos recursos sociais transferidos para os municípios. O presente trabalho desenvolve algumas extensões deste modelo com diferentes possibilidades de renegociação ao longo do tempo assim como a presença de choques. Demonstramos num contexto dinâmico com contratos completos que a melhor forma de aumentar a eficiência alocativa dos fundos transferidos seria criar mecanismos institucionais garantindo a impossibilidade de renegociações bilaterais. Esse contrato ótimo reproduz a seqüência de metas e transferências de vários períodos encontrada na solução do modelo estático. Entretanto, esse resultado desaparece quando incorporamos contratos incompletos. Nesse caso, as ineficiências ex-ante criadas pela possibilidade de renegociação devem ser comparadas com as ineficiências expost criadas por não se usar a informação nova revelada ao longo do processo. Na segunda parte do artigo incorporamos a incidência de choques aleatórios. Mostramos que, quando os resultados sociais não dependem somente dos investimentos realizados pelo município, mas também de fatores estocásticos, o contrato estabelecido entre governo federal e municípios, deve estipular metas mais altas de forma a prevenir a ocorrência de estados ruins da natureza. Além disso, contratos lineares nesse tipo de situação são pró-cíclicos, reduzindo as transferências governamentais justamente quando o município sofre um choque negativo. Para evitar esse tipo de situação, mostramos que o estabelecimento de contratos que utilizam mecanismos de comparação de performance entre os municípios elimina o efeito pró-cíclico, garantindo aos municípios uma transferência fixa quando eles investem na área social.por
dc.language.isopor
dc.publisherFundação Getulio Vargas. Escola de Pós-graduação em Economiapor
dc.relation.ispartofseriesEnsaios Econômicos;563por
dc.subjectMetas sociaispor
dc.subjectInformação assimétricapor
dc.subjectGastos sociaispor
dc.subjectContratospor
dc.subjectPobrezapor
dc.titleAspectos dinâmicos de um sistema de metas sociaispor
dc.typeWorking Papereng
dc.subject.areaEconomiapor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EPGEpor
dc.subject.bibliodataPolítica social - Modelos econométricospor
dc.subject.bibliodataAssistência econômica internapor
dc.subject.bibliodataBem-estar socialpor
dc.contributor.affiliationFGV


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record