Show simple item record

dc.contributor.advisorPrado Júnior, Sérvio Túlio
dc.contributor.authorNakahara, Rodrigo Aoyama
dc.date.accessioned2011-06-10T21:34:58Z
dc.date.available2011-06-10T21:34:58Z
dc.date.issued2011-03-04
dc.identifier.citationNAKAHARA, Rodrigo Aoyama. A competitividade internacional de firmas transnacionais na nova geografia econômica das nações em processo de integração político-econômica regional: uma análise longitudinal de empresas globais em macrorregiões supranacionais. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão Internacional) - FGV - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2011.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10438/8366
dc.description.abstractOwing to the globalization phenomena, international Economics and Politics aspects have extensively been debated amidst scholars of International Business given the extent of its impinge upon operational and strategic competitiveness scope of multinational enterprises. Conjoint with the regional reality of most trade and investment preferential agreements – which fosters rather a regional integration of markets, as opposed to a much suppositional 'global' market – globalist-approach international business strategy theories have come under closer scrutiny. Whereas some scholar like Pankaj Ghemawat (2007) proposes 'semi-globalization' theories because thereof; others, namely Alan Rugman and Alain Verbeke (inter alias 2004, 2007), on the other hand, vindicate stricter regionalist approaches in international business and international corporate strategies. Such upholds in the performance of transnational corporations, nonetheless, have not been comprehensively tested thereby leaving other relevant questions unanswered. As such we identified scantiness in the literature as to whether regions – rather than individual countries – are relevant to the overall performance of multinational companies and to what extent. In the light thereof we utilized a longitudinal quantitative methodology in order to asses historical evidence of the repercussion on transnational companies’ performance regarding their presence in selected regions and/or individual countries. We collected data from Compustat Global (2009) thereto and proceeded to econometrical panel data analysis. Our findings briefly consisted of threefold conclusion. First, when both variables (country and region) are simultaneously deemed to be influential, there is statistical significance. Second, when contrasting both variables (country and region) as to the higher impact on performance, albeit we found statistical relevance for countries individually, we suspected of problem in raw data. Third, when assuming a positive correlation between the multinational company performance and the number of geographical regions where they have significant operations, we found statistical significance. Our conclusion thus is once the majority of countries are signatories of at least one integration agreement; regions should be the main focus of international business and international corporate strategy for both theoretical (in view of the findings and the literature) and practical (rather than a one-by-one country approach) purposes.eng
dc.description.abstractDevido ao fenômeno da globalização, alguns aspectos em Economia Internacional e Política têm sido amplamente debatidos entre os estudiosos de Negócios Internacionais, dada a extensão do seu impacto sobre a competitividade operacional e estratégica das empresas multinacionais. Em conjunto com a realidade mais regional da maioria dos acordos preferenciais de comércio e de investimentos – que promovem uma integração regional mais profunda dos mercados, ao contrário do teórico mercado 'global' – as abordagens teóricas mais globalizantes em estratégia de negócios internacionais têm sido mais questionadas. Enquanto alguns estudiosos, como Pankaj Ghemawat, (2007), propõem abordagens para a chamada 'semi-globalização'; outros, por exemplo, com Alan Rugman e Alain Verbeke (inter alias 2004, 2007), por outro lado, defendem abordagens regionalistas mais restritas em negócios internacionais e estratégia de empresas internacionais. Tais posições sobre o desempenho das empresas transnacionais, no entanto, não foram amplamente testadas, deixando, assim, outras questões relevantes sem soluções. Assim sendo, identificou-se um espaço na literatura quanto à questão de as regiões – em vez de países individualmente considerados – serem ou não relevantes ao desempenho global das empresas multinacionais e em que medida. Nesse sentido, foi utilizada uma metodologia quantitativa longitudinal a fim de avaliar a evidência histórica da repercussão de presença em regiões selecionadas e/ou países sobre o desempenho das empresas transnacionais. Foram coletados dados no Compustat Global (2009) com vistas a uma análise econométrica de dados em painel. Nossos resultados consistem, brevemente, em três aspectos. Em primeiro lugar, quando ambas as variáveis (país e região) são simultaneamente consideradas influentes sobre o desempenho, existe significância estatística. Em segundo lugar, ao contrastar ambas as variáveis (país e região) entre si, em relação ao maior nível de impacto no desempenho, ainda que tenhamos encontrado relevância estatística para os países individualmente considerados, suspeitou-se de algum problema nos dados brutos. Em terceiro lugar, ao assumir uma correlação positiva entre o desempenho da empresa multinacional e do número de regiões geográficas onde essas corporações possuem operações significativas, foi encontrada significância estatística. Nossa conclusão, portanto, consiste no fato de que, dado que a maioria dos países são signatários de pelo menos um acordo de integração regional, as regiões devem ser o foco principal dos negócios internacionais e estratégia corporativa internacional, tanto nos propósitos teóricos (tendo em vista as conclusões desta pesquisa e a literatura sobre o assunto), quanto nos aspectos práticos (em vez de da customização da gestão e da estratégia para cada país individual).por
dc.language.isopor
dc.subjectEstratégia internacional de empresas e de negóciospor
dc.subjectNegócios internacionaispor
dc.subjectCompetitividade internacional de empresas e de negóciospor
dc.subjectMultinacionaispor
dc.subjectTransnacionaispor
dc.subjectEconomia da integraçãopor
dc.subjectComércio internacionalpor
dc.subjectInvestimento direto externopor
dc.subjectEstudos de regionalismopor
dc.subjectEconomia política internacionalpor
dc.titleA competitividade internacional de firmas transnacionais na nova geografia econômica das nações em processo de integração político-econômica regional: uma análise longitudinal de empresas globais em macrorregiões supranacionaispor
dc.typeDissertationeng
dc.subject.areaCiência políticapor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EAESPpor
dc.subject.bibliodataCompetitividade industrialpor
dc.subject.bibliodataIntegração econômica internacionalpor
dc.subject.bibliodataRelações econômicas internacionaispor
dc.subject.bibliodataComércio internacionalpor
dc.subject.bibliodataEmpresas multinacionaispor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record