Show simple item record

dc.contributor.advisorAmorim Neto, Octavio
dc.contributor.authorRibeiro, Luiz Carlos Magalhães
dc.date.accessioned2021-02-11T19:30:12Z
dc.date.available2021-02-11T19:30:12Z
dc.date.issued2020-12-15
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10438/30121
dc.description.abstractRecentemente, em todo o mundo, o interesse pelas operações de missão da paz das Nações Unidas (ONU) atingiu novos patamares. Não foi diferente para a participação dos países da América do Sul e Central desde a década de 1990. Cada um dos países democráticos da América Latina participa das missões de paz de maneira específica e com um número diferente de tropas militares. Embora muitos estudiosos apresentem argumentos razoáveis tentando avaliar as ra- zões para as participações desses países, ainda não está claro se a ideologia do partido do pre- sidente tem alguma influência em suas contribuições, sendo que esta variável é um aspecto importante dentro da região que experimentou regimes militares de direita e a ocorrência da chamada Pink Tide. Portanto, este trabalho investiga se poderia haver algum elemento de base ideológica que explicaria a variação da participação e contribuição de tropas para estas missões no que diz respeito a esses países. Eu avalio essa lacuna analisando se a variação ideológica do partido junto com a mudança dos presidentes dos países da América Latina pode ter influenci- ado a participação do país e o número de tropas com que contribuíram para cada missão de paz que eles engajaram de 1991 até o ano de 2017. Para isso, utilizo uma técnica de análise de dados em painel conhecida como modelo REWB para avaliar a participação nessas missões de 15 países democráticos latino-americanos selecionados, comparando também o número de tropas enviadas por aqueles que participaram. Os resultados mostram uma correlação significativa da ideologia partidária do presidente em relação a essas duas variáveis dependentes, com os parti- dos de esquerda sendo associados a maior participação e contribuição de tropas. O resultado também foi significativo quando inseri o termo de interação referindo-se ao fato de o país ter passado por um regime militar de direita. Em seguida, discuto meus resultados em vista do caso da MINUSTAH, a missão haitiana em pleno solo latino-americano, analisando a participação ou ausência de cada um dos 15 países.por
dc.description.abstractRecently all over the world, interest in the United Nations (UN) peacekeeping operations (PKO) has reached new heights. It was no different for the participation of South and Central American countries since the 1990s. Each of the democratic Latin American (LA) countries participates in PKO in their own specific way and with a different number of military troops. Although many scholars present reasonable arguments trying to assess the reasons for these Polities’ par- ticipations, it is yet unclear whether the president’s ideology has some influence on their con- tributions, and this variable is an important aspect within the region that experienced rightist military regimes and the occurrence of the so-called Pink Tide. Therefore, I investigate if there is some ideology-based explanation for variation in the participation in and troop contribution to UN PKO concerning these countries. I assess this gap by analyzing whether the party’s ide- ological variant alongside the change of the LA countries’ presidents may have influenced the Polity’s participation and the number of troops they have contributed to every UN PKO that they have engaged from 1991 until the year of 2017. To do that, I use a panel data analysis technique known as the REWB model to evaluate the 15 selected democratic Latin American countries’ participation in UN PKO, also comparing the number of troops sent by those which have participated. My results show a significant correlation between president’s ideology and these two dependent variables, with the left-wing parties being associated with more participa- tion and troop contribution. The outcome was also significant when I inserted the interaction dummy term referring to whether the country experienced a past rightist military regime. I then discuss my results in view of the MINUSTAH case, the Haitian mission on plain LA soil, by analyzing each of the 15 countries' participation or absence.eng
dc.language.isoeng
dc.subjectLatin American countrieseng
dc.subjectParty’s Ideologyeng
dc.subjectParticipation in peacekeepingeng
dc.subjectTroop contribution to peacekeeping.eng
dc.subjectPanel dataeng
dc.subjectPaíses latino-americanospor
dc.subjectIdeologia do Partidopor
dc.subjectParticipação em missões de pazpor
dc.subjectContribuição d tropas para missões de pazpor
dc.subjectDados em painelpor
dc.titlePresident’s ideology and Latin American Countries’ participation in peacekeeping, 1991-2017eng
dc.typeDissertationeng
dc.subject.areaCiência política
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EBAPEpor
dc.subject.bibliodataForças de paz – América Latinapor
dc.subject.bibliodataRelações entre civis e militares – América Latinapor
dc.subject.bibliodataMissões militarespor
dc.subject.bibliodataNações Unidas – Política internacionalpor
dc.degree.date2020-12-15
dc.contributor.memberGoldszmidt, Rafael Guilherme Burstein
dc.contributor.memberFeliú, Pedro Ribeiro


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record