Show simple item record

dc.contributor.advisorTeixeira, Marco Antonio Carvalho
dc.contributor.advisorLima, Renato Sérgio de
dc.contributor.authorBueno, Samira
dc.date.accessioned2018-04-27T16:36:57Z
dc.date.available2018-04-27T16:36:57Z
dc.date.issued2018-03-21
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10438/22070
dc.description.abstractThis thesis aimed to investigate the persistence of the use of deadly force in the action of the Military Police of the State of São Paulo, despite the reduction of homicides verified between the years 2000 and 2016. The issue that determined the achievement of the research lies on the identification of the mechanisms and strategies that sustain lethal practice inside the organization. In methodological terms, strategies used for the research allied quantitative and qualitative research techniques and involved the analysis of occurrence reports and official documents related to the occurrences of death resulting from police intervention / resistance followed by death, interviews with 16 military police officers sentenced for homicide who were serving time at the Romão Gomes Military Prison, and a observational research of public profiles of military police officers on the social network Facebook. The research allowed the identification of four empirical categories that would be directed associated to the shaping of a professional ethos based on the model of violent confrontation of the criminals and that would influence the homicidal disposition. These categories converge to the development of a doctrine of the use of lethal force, the instrumentalisation of a subculture among the police universe which comprises the practice of murder as an efficient form of crime control. It is not, therefore, an action ideologically mobilized on a day-to-day basis, but a functional strategy within a frame in which there is a genuine belief that the police's mission is to hunt bandits. Therefore, the homicidal disposition does not appears as a deviation or crime, but as a central element of the police activity itself, which is daily fed back by the corporation and its members through strategies that involve the production of statistics, standardized discourses about the victims of their actions and in the interaction with society through social media.eng
dc.description.abstractEsta tese teve por objetivo investigar a persistência da letalidade na ação da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP), não obstante a redução dos homicídios verificada entre os anos de 2000 e 2016. Para o desenvolvimento da pesquisa buscou-se identificar os mecanismos e estratégias que sustentam a prática letal dentro da organização. Em termos metodológicos foram mobilizadas estratégias que aliaram técnicas quantitativas e qualitativas de pesquisa, o que envolveu a análise de boletins de ocorrência e documentos oficiais relacionados às ocorrências de morte decorrente de intervenção policial/resistência seguida de morte, a realização de entrevistas com 16 policiais militares sentenciados por homicídio que cumpriam pena no Presídio Militar Romão Gomes e uma pesquisa observacional em perfis públicos de policiais militares no Facebook. Foi possível identificar três categorias empíricas que estariam diretamente associadas à conformação de um etos profissional pautado no modelo de enfrentamento violento ao criminoso e que influenciam na disposição homicida por parte do policial. Essas categorias convergem para o desenvolvimento de uma doutrina de uso da força letal, a instrumentalização de uma subcultura do universo policial que compreende a prática do homicídio como uma forma eficiente de controle do crime. Não se trata, portanto, de uma ação mobilizada ideologicamente no dia a dia, mas de uma estratégia funcional dentro de um frame em que vigora a crença genuína de que a missão da polícia é caçar bandidos. Deste modo, a disposição homicida não aparece como um desvio ou crime, mas como elemento central da própria atividade policial, que é cotidianamente retroalimentado pela corporação a partir de estratégias relacionadas à produção de estatísticas, à construção da imagem do sujeito criminoso e na interação com a sociedade através das mídias sociais.por
dc.language.isopor
dc.subjectMilitary Policeeng
dc.subjectPolice deadly forceeng
dc.subjectOrganizational fieldeng
dc.subjectHomicideeng
dc.subjectPublic safetyeng
dc.subjectPolícia Militarpor
dc.subjectLetalidade policialpor
dc.subjectCampo organizacionalpor
dc.subjectHomicídiopor
dc.subjectSegurança públicapor
dc.titleTrabalho sujo ou missão de vida?: persistência, reprodução e legitimidade da letalidade na ação da PMESPpor
dc.typeThesiseng
dc.subject.areaAdministração públicapor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EAESPpor
dc.subject.bibliodataViolênciapor
dc.subject.bibliodataPolícia - Atitudespor
dc.subject.bibliodataSegurança pública - São Paulo (Estado)por
dc.subject.bibliodataSão Paulo (Estado) - Polícia Militarpor
dc.rights.accessRightsopenAccesseng
dc.contributor.memberPinheiro, Paulo Sérgio
dc.contributor.memberWillis, Graham Denyer
dc.contributor.memberSinhoretto, Jacqueline
dc.contributor.memberCosta, Arthur Trindade Maranhão
dc.contributor.memberSilveira, Rafael Alcadipani da


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record