Show simple item record

dc.contributor.advisorTeixeira, Marco Antonio Carvalho
dc.contributor.authorBueno, Samira
dc.date.accessioned2014-03-19T16:48:50Z
dc.date.available2014-03-19T16:48:50Z
dc.date.issued2014-02-17
dc.identifier.citationBUENO, Samira. Bandido bom é bandido morto: a opção ideológico-institucional da política de segurança pública na manutenção de padrões de atuação violentos da polícia militar paulista. Dissertação (Mestrado em Administração Pública e Governo) - FGV - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2014.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10438/11546
dc.description.abstractWhy, even after 25 years of the promulgation of the Federal Constitution which inaugurates the democratic period in Brazil, does the Military Police of São Paulo maintain a pattern of excessive use of lethal force in their actions, despite the creation of a series of mechanisms that seek control of police activity? It is from this question that this study sought to understand what are the determinants factors for understanding the operational standards of the PMESP, and map the main actions of police activities implemented between 1983 and 2012, discussing its limitations and potentials. In general, it was concluded the inability of incremental changes to modify the standard patterns of actions of the PMESP, demonstrating that the choice for more 'forceful' measures to curb crime is, above all, political-institutional, with strong ideological ties.eng
dc.description.abstractPor que, mesmo 25 anos após a promulgação da Constituição Federal que inaugura o período democrático no Brasil, a Polícia Militar do Estado de São Paulo mantem um padrão excessivo de uso da força letal em suas ações, não obstante a criação de uma série de mecanismos com foco no controle da atividade policial? É a partir desta questão que esta pesquisa buscou compreender quais os fatores determinantes para entendermos o padrão operacional da PMESP, bem como mapear as principais ações de controle da atividade policial implementadas entre 1983 e 2012, problematizando seus limites e potencialidades. Em linhas gerais, concluiu-se pela incapacidade de ações de cunho incremental alterarem de fato o padrão de atuação da PMESP, demonstrando que a opção por medidas mais “enérgicas” de contenção da criminalidade é, antes de tudo, político-institucional, com fortes vínculos ideológicos.por
dc.language.isopor
dc.subjectPolícia Militarpor
dc.subjectViolência policialpor
dc.subjectDesmilitarizaçãopor
dc.subjectMecanismos de controlepor
dc.subjectReformas da segurança públicapor
dc.titleBandido bom é bandido morto: a opção ideológico-institucional da política de segurança pública na manutenção de padrões de atuação violentos da polícia militar paulistapor
dc.typeDissertationeng
dc.subject.areaAdministração públicapor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EAESPpor
dc.subject.bibliodataSão Paulo (Estado). Polícia Militarpor
dc.subject.bibliodataPolícia - Atitudespor
dc.subject.bibliodataSegurança pública - Brasilpor
dc.subject.bibliodataViolênciapor
dc.subject.bibliodataPolícia - Denúncia contra a violênciapor
dc.contributor.memberLima, Renato Sérgio de
dc.contributor.memberAlves, Mário Aquino
dc.contributor.memberDias, Camila Caldeira Nunes


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record