Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

Nina Rodrigues e a patologização do crime no Brasil

Francisco Ortega, Cristiane Brandão Augusto

Resumo


ESTE ARTIGO SE DEDICA À ANÁLISE DO MOVIMENTO DE ”PATOLOGIZAÇÃO” DO CRIMINOSO POR UMA LEITURA HISTÓRICA DO IMPACTO DO ”CIENTIFICISMO CEREBRAL” NA ESFERA CRIMINAL. MAIS PARTICULARMENTE, ATENTA-SE PARA A RECEPÇÃO DAS TEORIAS DE MATRIZ LOMBROSIANA PELA CRIMINOLOGIA BRASILEIRA DO SÉCULO XIX, NA QUAL SE VÊ O MICROCOSMO DO CONFLITO DE INTERESSES DE CLASSES E RAÇAS MEDIADO PELA AUTORIDADE MÉDICA QUE, NA SUA CRENÇA CIENTÍFICA (OU NA SUA FILIAÇÃO IDEOLÓGICA), PROCURAVA ESCLARECER OS LIMITES ENTRE A FALTA MORAL E A LOUCURA – OU OS DOIS (LOUCURA MORAL) COMO DOENÇA OU COMO PURA PERVERSIDADE – E PROCURAVA APONTAR PARA OS JUÍZES A FORMA CORRETA (CIENTÍFICA) DE SE SANCIONAR OU DE SE TRATAR A LOUCURA

Palavras-chave


ANTROPOLOGIA CRIMINAL; DOENÇA MENTAL; PATOLOGIZAÇÃO; NINA RODRIGUES

Texto completo:

PDF