Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

Humanidades digitais e diáspora africana: questões éticas e metodológicas na elaboração de uma base de dados sobre a população escravizada de Mariana (século XVIII)

Aldair Rodrigues

Resumo


Adotando como estudo de caso a elaboração de uma base de dados sobre a população escravizada que viveu na região de Mariana (Minas Gerais) no século XVIII, este artigo reflete sobre os desafios éticos e metodológicos subjacentes às abordagens digitais sobre a diáspora africana. A análise enfoca as especificidades e os desafios envolvidos no processo de transposição de informações históricas produzidas no contexto da escravidão para sistemas digitais. Quais são as potencialidades e os riscos dessa tarefa em um país social e étnico-racialmente desigual como o Brasil?


Palavras-chave


Diáspora africana; Humanidades digitais; História digital; Base de dados; Ensino de história.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. A. L. de. Ladinos e boçais: o regime de línguas do contrabando de africanos (1831-c. 1850). 2012. Dissertação (Mestrado em História), Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

ANDERSON, R.; BORUCKI, A.; SILVA, D. D. da; ELTIS, D.; LACHANCE, P.; MISEVICH, P.; OJO, O. Using African names to identify the origins of captives in the transatlantic slave trade: crowd-sourcing and the registers of liberated Africans, 1808-1862. History in Africa, v. 40, n. 1, p. 165-191, 2013.

APURRO, R. Digitization as an ethical challenge. AI & Society, v. 32, n. 2, p. 277-283, 2017.

BARRINGER, T.; WALLACE, M. (Org.). African studies in the digital age: disconnects?. Leiden/Boston: Brill, 2014.

BRASIL. Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2009.

BRASIL. Lei no 11.645, de 10 de março de 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2019.

BUKAS-YAKABUUL, B.; SILVA, D. B. D. da. From beyond the Kwango: tracing the linguistic origins of slaves leaving Angola, 1811-1848. Almanack, Guarulhos, n. 12, p. 34-43, 2016. Disponível em: . Acesso em: 28 ago. 2019.

BURDICK, A. et al. A short guide to the digital humanities. Cambridge/Londres: MIT Press, 2012.

CÂMARA, S.; BENÍCIO, M. História digital: entre as promessas e armadilhas da sociedade informacional. Revista Observatório, v. 3, n. 5, p. 38-56, 2017.

CASTRO, Y. P. de. A língua mina-jeje no Brasil: um falar africano em Ouro Preto do século XVIII. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro/Secretaria da Cultura do Estado de Minas Gerais, 2002.

CHUN, W. H. K.; GRUSIN, R.; JAGODA, P.; RALEY, R. The dark side of the digital humanities. In: GOLD, M.; KLEIN, L. (Org.). Debates in the digital humanities. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2019.

COISSY, A. L’arrivee des “Alladahonou” a Houawe. Études Dahoméennes, n. 13, p. 33-34, 1955.

ELTIS, D.; BEHRENDT, S.; RICHARDSON, D.; KLEIN, H. (Ed.). The trans-atlantic slave trade: a database on CD-ROM. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1999.

______; RICHARDSON, D. Atlas of the transatlantic slave trade. New Haven: Yale University Press, 2010.

FLORES, J. Digital resources for the study of global slavery and slave trade. 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2018.

GALLON, K. Making a case for the black digital humanities. In: GOLD, M.; KLEIN, L. (Org.). Debates in the digital humanities. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2016. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2017.

GIL, T. Como se faz um banco de dados (em história). Porto Alegre: Ladeira Livros, 2015.

HALL, G. M. (Org.). Afro-Louisiana history and genealogy, 1699-1860. (CD-ROM). Baton Rouge: Louisiana State University Press, 2000. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2019.

LAW, R. The kingdom of Allada. Leiden: Research School CNWS, School of Asian, African, and Amerindian Studies, 1997.

LIMA, I. S. A voz e a cruz de Rita: africanas e comunicação na ordem escravista. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 38, n. 79, p. 41-63, dez. 2018.

LUCCHESI, A. Por um debate sobre história e historiografia digital. Boletim Historiar, Sergipe, n. 2, p. 45-57, mar./abr. 2014.

MAIA, M. De reino traficante a povo traficado: a diáspora dos courás do Golfo do Benim para as minas de ouro da América Portuguesa (1715-1760). 2013. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

MARQUES, L. Digital history of the transatlantic slave trade: an interview with David Eltis. Tempo, Niterói, v. 25, n. 2, p. 520-527, 2019. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2019.

MCPHERSON, T. Why are the digital humanities so white? Or thinking the histories of race and computation. Debates in the Digital Humanities, University of Minnesota Press, p. 139-160, 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2015.

MIKI, Y. In the trail of the ship. Social Text, v. 37, n. 1, p. 87-105, 2019.

MILLER, J. C. A historical appreciation of the biographical turn. In: LINDSAY, L.; SWEET, J. W. (Org.). Biography and the Black Atlantic. Filadélfia: University of Pennsylvania Press, 2013. p. 19-47.

NICODEMO, T. L.; CARDOSO, O. P. Metahistory for robots: knowledge in the artificial intelligence era. História da Historiografia, v. 12, n. 29, p. 17-52, jan./abr. 2019.

NOBLE, S. U. Algorithms of oppression: how search engines reinforce racism. Nova York: New York University Press, 2018.

PAES, M. L. Arquivo: teoria e prática. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

PARES, N. O pai, o rei e a morte: a religião vodum na antiga Costa dos Escravos na África Ocidental. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

SILVA, W. de C. A construção e a preservação de bases de dados digitais para a pesquisa histórica: um estudo de caso no Centro de Pesquisa em História Social da Cultura – Cecult. 2018. Monografia (Bacharelado em História). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

SILVA JR., C. Identidades afro-atlânticas: Salvador, século XVIII (1700-1750). 2011. Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011.

SOARES, M. Rotas atlânticas da diáspora africana: da baía do Benim ao Rio de Janeiro. Niterói: UFF, 2007.

SRINIVASAN, S.; LOPES, C. Africa’s voices versus big data? The value of citizen engagement through interactive radio. In: HEMER, O.; TUFTE, T. (Org.). Voice & matter: communication, development and the cultural return. Bohus: Nordicom, 2016. p. 155-172.

STERNFELD, J. Archival theory and digital historiography: selection, search, and metadata as archival processes for assessing historical contextualization. The American Archivist, v. 2, n. 74, p. 544-575, 2011. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2019.

WILLIAMS, D. Digital approaches to the history of the atlantic slave trade. Oxford research encyclopedia of African history. 20 nov. 2018. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2019.




Direitos autorais 2020 Revista Estudos Históricos

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Estudos Históricos
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da Escola de Ciências Sociais (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas (FGV)
 

eh@fgv.br