Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

A voz da Argélia. A propaganda revolucionária da Frente de Libertação Nacional argelina no Brasil. Independência nacional e revolução socialista (1954-1962)

Rodrigo Nabuco

Resumo


Este trabalho tem como objetivo apresentar novas perspectivas sobre as revoluções na América Latina e no Norte da África, analisando as circulações de pessoas e ideias de 1954 a 1962. Anterior à Revolução Cubana, a Guerra da Argélia (1954-1962) mobilizou os corações e mentes de políticos e intelectuais latino-americanos. Além de intelectuais argelinos, o movimento revolucionário contou com o apoio de letrados oriundos de outras colônias francesas, bem como da América Latina. Neste artigo enfatizamos a participação de intelectuais brasileiros. O ponto de partida é a atuação da Frente argelina de Libertação Nacional na América Latina através de seu órgão oficial, o jornal El Moudjahid, bem como de jornais brasileiros. Buscamos mostrar como pensadores socialistas das décadas de 1950 e 1960 discutiram a guerra de independência da Argélia.


Palavras-chave


movimentos revolucionários; nacionalismo; socialismo; propaganda política; Frente de Libertação Nacional; Argélia.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

Argelino: De Gaulle alimenta a guerra. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 5-6 de novembro de 1960, p. 2.

AZEVEDO, Desirée de Lemos. Os melhores anos de nossas vidas. Narrativas, trajetórias e trajetos de exilados brasileiros, que se tornaram cooperantes na República Popular de Moçambique. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, tese de doutorado, 2011.

BAILBY, Edouard. O dilema da Argélia. O Semanário, 6 de julho de 1962, p. 2.

BENKHEDDA, Youssef. Trágico balanço do regime de terror implantado na Argélia pelos colonialistas franceses. O Semanário, 12-18 de novembro de 1960, p. 4.

BLOOM, Joshua & MARTIN, Waldo. Black against empire: the history and politics of the Black Panther Party. Berkeley: University of California Press, 2013.

BOZ, Pierre. Une fin des temps. Fragments d'histoire des chrétiens en Algérie. Paris: Desclée de Brouwer, 2009.

BRANCHE, Raphaëlle (org.). La guerre d’indépendance des Algériens 1954-1962. Paris: Presses Nationales de la Fondation des Sciences Politiques, 2009, p. 59-73.

CARLIER, Omar. Entre nation et djihad. Histoire sociale des radicalismes algériens. Paris: Presses de Sciences Po, 1995.

CARPEAUX, Otto Maria. Prefácio. In: POERNER, Arthur José. Argélia: o caminho da independência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

CASTRO, Paulo de. Cada dia de guerra aumenta a separação de franceses e muçulmanos. Diário de Notícias, Primeira Seção, p. 1, 16 de dezembro 1957a.

–––––. Apesar de todos os erros os argelinos preferem entender-se com os franceses. Sacerdotes católicos, jornalistas e professores defendem os muçulmanos. Diário de Notícias, Primeira Seção, p. 1, 19 de dezembro 1957b.

–––––. Terceira força. Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura, 1958a.

–––––. Dias decisivos para a França. Diário de Notícias, Primeira Seção, p. 4, 18 de maio 1958b.

–––––. A grande conspiração. Diário de Notícias, Primeira Seção, p. 4, 27 de maio 1958c.

–––––. Visita do Padre Berenguer. Diário de Notícias, Primeira Seção, p. 4, 9 de setembro de 1959.

–––––. Argélia, a terra e o homem. Rio de Janeiro: Fórum Editora, 1971.

CAUBET, Rosa Alice. La bibliographie brésilienne de Sartre. Fragmentos. Florianópolis: Editora da UFSC, n. 2, 1986, p. 59-73.

CHAIB, Taleb. Os estudantes, a cultura argelina e o colonialismo. O Semanário, 16-22 de janeiro de 1960, p. 9.

Conferência coletiva de líderes argelinos. Diário de Notícias, 30 de julho de 1957, Primeira Seção, p. 2.

CONNELLY, Matthew. L’arme secrète du FLN. Comment de Gaulle a perdu la guerre d’Algérie. Paris: Payot & Rivages, 2011.

Distúrbios na Argélia. Movimento organizado. Exageradas as notícias divulgadas a respeito. Correio da Manhã, 2 de novembro de 1954, p. 1.

Duzentos mil civis já morreram na Argélia! Última Hora, 31 de julho de 1957, p. 6.

El Moudjahid. La délégation de l’UGEMA à travers l’Amérique Latine. Belgrade: réédition de Belgrade, 1962, t. 1, n. 41 (1959a).

El Moudjahid. Les services de contre-espionnage français à São Paulo. Belgrade: réédition de Belgrade, 1962, t. 2, p. 564 (1959b).

El Moudjahid. Le Brésil ne peut trahir la liberté. Belgrade: réédition de Belgrade, 1962, t. 3, p. 406 (1960a).

El Moudjahid. La mission du GPRA au Brésil. Belgrade: réédition de Belgrade, 1962, t. 3, p. 341-342 (1960b).

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

FITTE, Albert. Spectroscopie d’une propagande révolutionnaire. El Moudjahid du FLN des temps de guerre. Montpellier: Presses de l’Université Paul Valéry, 1973.

HARDION, Bernard. Considérations de la presse brésilienne sur les événements de France et d’Algérie. 31 de maio de 1958. Paris: Archives du Ministère des Affaires Étrangères et Européennes. Caixa 45.

JULIÃO, Francisco. A luta dos camponeses do Engenho da Galileia repercute na Câmara. O Semanário, 22 de janeiro de 1960, p. 6.

LEMOND, Henri. Compte rendu mensuel: réaction aux événements d’intérêt français. Outubro de 1960. Vincennes: Service Historique de la Défense. Caixa10T1112.

–––––. Réaction aux événements d’intérêt français. Novembro de 1960. Vincennes: Service Historique de la Défense. Caixa 10T1112.

LESTA, Henri. Fascismo francês na África do Norte. Imprensa Popular. 30 de dezembro de 1955, p. 3.

Líderes do povo argelino pedem o apoio do povo brasileiro à sua luta de libertação nacional. Imprensa Popular, 27 de julho de 1957, p. 1.

MANYA, Judith. Les Portugais d’Alger 1962-1974. In: Nouvelles perspectives de la recherche française sur la culture portugaise. Clermont-Ferrand: PUBP, 2007, p. 51-59 [http://pubp.univ-bpclermont.fr/public/pdf/Nouvellesperspectives.pdf].

MEYNIER, Gilbert. Histoire intérieure du FLN 1954-1962. Paris: Librairie Arthème Fayard, 2002.

Missão argelina à América Latina. Correio da Manhã. Rio de Janeiro, 14 de setembro de 1960.

Padre Berenguer a UH: Federação Africana colaboraria com França. Última Hora, 14 de setembro de 1959.

Padre francês que defende argelinos acusa a França de guerra injusta. Jornal do Brasil, 12 de setembro de 1959.

PARKER, Mark. The Battle of Algiers (La battaglia di Algeri). Film Quarterly, 2007, v. 60, n. 4, p. 62-66.

PAULO, Heloisa. O republicanismo e a oposição exilada: combates e crises. Estudos do Século XX. Coimbra: Imprensa da Universidade/Ceis 20, n. 11, 2010, p. 423-436.

PERVILLÉ, Guy. L’insertion internationale du FLN algérien (1954-1962). Relations Internationales. Genebra, 1982, n. 31, p. 373-386.

–––––. La révolution algérienne et la guerre froide (1954-1962). Études Internationales, 1985, v. 16, n. 1, p. 55-66.

–––––. L’élite intellectuelle, l’avant-garde militante et le peuple Algérien. Vingtième Siècle, Revue d’Histoire. Paris, 1986, v. 12, n. 1, p. 51-58.

POERNER, Arthur José. Argélia: o caminho da independência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

Resoluções do Comitê Central do PC Francês. Imprensa Popular. 17 de julho de 1955, p. 5.

SARTRE, Jean-Paul. Colonialismo, um sistema por explodir. Diário de Notícias, 4 de setembro 1960. O Metropolitano, p. 56.

–––––. Prefácio. In: FANON, Frantz. Os condenados da terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

SIMARD, Marc. Intellectuels, fascisme et antimodernité dans la France des années trente. Vingtième Siècle, Revue d’Histoire. Paris, 1988, n. 18, p. 55-76.

SPIRE, Alex. Semblables et pourtant différents. La citoyenneté paradoxale des “Français musulmans d’Algérie” en métropole. Genèses, 2003/4, n. 53, p. 48-68.

STORA, Benjamin. Faiblesse paysanne du mouvement nationaliste algérien avant 1954. Vingtième Siècle, Revue d’Histoire. Paris, 1986, v. 12, n. 1, p. 59-72.

–––––. Le nationalisme algérien avant 1954. Paris: CNRS Éditions, 2010.

VATIKIOTIS, Panayiotis Jerasimof. Tradition and political leadership: the example of Algeria. Middle Eastern Studies. 1966, v. 2, n. 4, p. 330-366.




Direitos autorais 2017 Revista Estudos Históricos

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Estudos Históricos
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da Escola de Ciências Sociais (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas (FGV)
 

eh@fgv.br