Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

Pedro Maneta e o concurso literário promovido pelo Ministério do Trabalho IndÚstria e Comércio em 1942

Adriano Luiz Duarte

Resumo


O presente artigo tem o objetivo de analisar o romance Pedro Maneta, premiado no primeiro concurso nacional de romance e teatro promovido pelo Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio em 1942. Refletindo sobre a relação entre história, literatura e sociedade, o estudo toma o romance, simultaneamente, como produto e produtor do seu tempo e contexto. Assim, coloca em foco o Estado Novo e a centralidade adquirida pelo mundo do trabalho no momento de seu ápice, ao mesmo tempo em que seu fim se anunciava.


Palavras-chave


trabalho, literatura, Estado Novo, Segunda Guerra Mundial.

Texto completo:

PDF

Referências


AARON, Daniel. Writers on the left: episodes in American literary communism. New York: Harcourt, Brace & World, Inc., 1961.

ADORNO, Theodor. Teoria estética. Lisboa: Edições 70, 1970.

ALEM, Sílvio. Os trabalhadores e a “redemocratização”: 1942/1948. Dissertação (Mestrado) IFCH/UNICAMP, Campinas, 1981.

ALVES, Rubem. Protestantismo e repressão. São Paulo: Ática, 1979.

ANDRADE, Almir de. 1941 A evolução política do Brasil. Cultura Política: Revista Mensal de Estudos Brasileiros, Rio de Janeiro, ano I, n. 1.

BOLETIM do MTIC n. 91, março de 1942, ano VIII.

BOLETIM do MTIC n. 97, setembro de 1942, ano IX.

BRETAS, Ângela. Nem só de pão vive o homem: criação e funcionamento do Serviço de Recreação Operária, 1943-1945. Rio de Janeiro: Apicuri, 2010.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história da literatura. 8ª ed. São Paulo: T.A. Queiroz, 2002.

CHALHOUB, Sidney & PEREIRA, Leonardo. Apresentação. In: A história contada: capítulos de história social da literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

DUARTE, Adriano. O enigma Paulo Rizzo nos arquivos do FBI, 1949-1950: de estudante premiado a “pastor comunista”. In: FORTES, Alexandre et al. Cruzando fronteiras: novos olhares sobre a história do trabalho. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2013.

GASDA, Helio Estanislau. El Sentido del trabajo. Los impactos de la reconfiguración del capitalismo contemporáneo sobre los trabajadores: por una nueva compreensión del trabajo en la Teologia Moral. Tese (Doutorado) – Universidad Pontifícia Comillas, Madrid, 2010.

GOMES, Ângela de Castro. A invenção do trabalhismo. São Paulo/ Rio de Janeiro: Vértice/ Iuperj, 1988.

KLEIN, Herbert. A imigração espanhola no Brasil. São Paulo/Sumaré: FAPESP, 1994.

LAFFITTE, Michel. The Vélodrome d’hiver Round-up: July 16 and 17, 1942. Online Encyclopedia of Mass Violence. Disponível em http://www.massviolence.org/IMG/article_PDF/The-Vel-d-Hiv-round-up.pdf. Acesso em dezembro de 2014.

LENHARO, Alcir. A sacralização da política. Campinas: Papirus, 1986.

MELO, Luís Correia. Dicionário de autores paulistas. São Paulo: Comissão do IV Centenário da Cidade de São Paulo, 1954.

MENEZES, Raimundo de. Dicionário literário brasileiro. São Paulo: Saraiva, 1969.

PAOLI, Maria Célia. A família operária: notas sobre sua formação histórica no Brasil. Tempo Social Revista de Sociologia, v. 4, n. 1-2, São Paulo, jan.-dez. 1992.

PINTO, Rui Pedro. Prémios do espírito: um estudo sobre prêmios literários da secretaria de propaganda nacional do Estado Novo. Lisboa: ICS, 2008.

SANTOS, Wanderley Guilherme dos. Cidadania e justiça. Rio de Janeiro: Campus, 1979.

SCHWARZ, Roberto. Na periferia do capitalismo (Entrevista). Martinha versus Lucrécia São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Livraria Fronteira, 1967.

WEIL, Simone. Experiência da vida de fábrica. In: A condição operária e outros estudos sobre a opressão. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

_____. Drama from Ibsen to Brecht. London: Hogarth Press, 1987.




Revista Estudos Históricos
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da Escola de Ciências Sociais (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas (FGV)
 

eh@fgv.br