Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

As transformações socioambientais da paisagem rural a partir de um desastre ambiental (Paraná, 1963)

Letícia Aparecida Paixão, Angelo Aparecido Priori

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar as transformações ocorridas na paisagem rural do estado do Paraná na década de 1960. Toma-se como referência um desastre ambiental (incêndio florestal) ocorrido no ano de 1963, que vitimou 110 pessoas e deixou milhares desabrigadas, além de destruir florestas e plantações. A hipótese principal é a de que o desastre foi resultado das relações dos homens com o meio natural. Por isso mesmo, é fundamental dar historicidade a essas relações, para compreender o real significado do evento e a forma como ele está inserido em um contexto mais amplo, marcado pela erradicação dos cafezais na região norte e pelo desflorestamento da região central do estado.


Palavras-chave


desastres ambientais; cafeicultura; floresta de araucária; incêndios; paisagem; Paraná

Texto completo:

PDF

Referências


ALCÁNTARA-AYALA, Iracema. Geomorphology, natural hazards, vulnerability and prevention disasters in developing countries. Geomorphology, v. 47, p. 107-124, 2002.

ARRUDA, Gilmar. A ‘grande transformação’ e a biota cultural das populações em movimento. Diálogos, Maringá, v. 14, n. 2, p. 287-303, 2010.

BALHANA, A. P.; MACHADO, B. P.; WESTPHALEN, C. M. História do Paraná. Curitiba: Grafipar, 1969.

BRASIL. Lei n. 12651/2012. Código Florestal Brasileiro. Disponível em: . Acesso em 15 jun. 2015.

CANCIAN, Nadir Apparecida. Cafeicultura paranaense – 1900/1970. Curitiba: Grafipar, 1981.

FOGARI, Edna Regina Gomes. Norte do Paraná: um estudo dos movimentos de ocupação e sua recente história. Curitiba, 2009. Relatório (Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE) – Secretaria de Estado da Educação, 2009.

GUBERT FILHO, Francisco A. O desflorestamento do Paraná em um século. In: SONDA, Claudia; TRAUCZYNSKI, Silvia Cristina (Org.). Reforma agrária e meio ambiente – teoria e prática no Estado do Paraná. Curitiba: ITCG, 2010, p. 15-25.

HAUER, Margit. As florestas no Paraná: um processo de involução. In: SONDA, Claudia; TRAUCZYNSKI, Silvia Cristina (Org.). Reforma agrária e meio ambiente – teoria e prática no Estado do Paraná. Curitiba: ITCG, 2010, p. 27-44.

HOLLING, C. S. Resilience and stability of ecological systems. Annual Review of Ecology and Systematics, v. 4, p. 1-23, sep. 1973. Disponível em: http://webarchive.iiasa.ac.at/Admin/PUB/Documents/RP-73-003.pdf. Acesso em 19 jun. 2015.

IBC-GERCA. Diversificação da estrutura agrícola das regiões cafeeiras – Plano Diretor. Brasília: Gerca, 1962.

______. Racionalização da cafeicultura brasileira – Programa de Renovação. Londrina: Agência do IBC, 1969.

KLABIN. Relatório sobre as áreas plantadas com Araucária, Eucalipto e Pinus, atingidas pelos incêndios de agosto/setembro-63. Jundiaí: Acervo do Centro de Documentação e Memória Klabin, 1963.

KOBIYAMA, Masato et al. Conceitos básicos. In: Prevenção de desastres naturais: conceitos básicos. Curitiba: Ed. Organic Trading, 2006, p. 7-30.

LOPES, Alfredo Ricardo Silva. A natureza do risco: paisagem e risco na análise dos desastres socioambientais. Esboços, Florianópolis, v. 20, n. 30, p. 52-66, dez. 2013.

MAACK Reinhard. Geografia física do estado do Paraná. Curitiba: Editora Max Roesner, 1968.

MEYER, Daniel. Transitions and resilience in the frozen commons. Linking aquaculture, krill fishery, governance and ecosystem change in the Scotia Sea, Southern Ocean. Stockholm, 2011, 103 f. Thesis (Master’s Thesis in Ecosystems, Resilience and Governance) – Stockholm Resilience Centre, 2011.

______. Nova forma de confrontar problemas ambientais no Brasil. Disponível em: < http://www.oeco.org.br/convidados/25363-nova-forma-de-confrontar-problemas-ambientais-no-brasil>. Acesso em 28 jul. 2014.

MORO, Dalton Aureo. Substituição de culturas, modernização agrícola e organização do espaço rural no norte do Paraná. Presidente Prudente, 1991. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, 1991.

MÜLLER, Nice Lecocq. Contribuição ao estudo do norte do Paraná. Geografia, Londrina, v. 10, n. 1, p. 89-118, jan./jun. 2001.

NUNES, José Luiz Alves. 1963: o Paraná em chamas. Londrina: Ed. do Autor, 2013.

OLIVEIRA, Semí Cavalcante. A economia cafeeira no Paraná até a década de 1970. Vitrine da Conjuntura, Curitiba, v. 2, n. 4, p. 1-8, jun. 2009.

PARANÁ. O Paraná em flagelo: relatório. Curitiba: DGTC, 1963

______. Paraná: do flagelo à recuperação. Curitiba: Departamento de Imprensa Oficial, 1964.

POZZOBON, Irineu. A epopeia do café no Paraná. Londrina: Grafmarke, 2006.

PRIORI, Angelo. O protesto do trabalho: história das lutas sociais dos trabalhadores rurais do Paraná (1954-1964). Maringá: Eduem, 1996.

SHIMIZU, Jarbas Yukio. Introdução. In: SHIMIZU, Jarbas Yukio (Org.). Pinus na silvicultura brasileira. Colombo: Embrapa Florestas, 2008, p. 1-5.

SILVEIRA, Leonor Marcon. A ocupação e organização espacial do território paranaense face aos recursos da natureza. Acta Scientiarum, Maringá, v. 20, n. 1, p. 129-136, 1998.

SOARES, Ronaldo Viana. Incêndios florestais – controle e uso do fogo. Curitiba: Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná, 1985.

TUOTO, Marco; HOEFLICH, Vitor Afonso. A indústria florestal brasileira baseada em madeira de Pinus: limitações e desafios. In: SHIMIZU, Jarbas Yukio (Org.). Pinus na silvicultura brasileira. Colombo: Embrapa Florestas, 2008, p. 6-10.

ULTIMA HORA, Curitiba, 9 set. 1963.

VALASKI, Simone; NUCCI, João Carlos. Mapa Fitogeográfico do Paraná (MAACK, 1950): coleção de mapas como solução cartográfica. Anais do IV SLAGF, Maringá, v. 1, p. 1-10, 2006.




Direitos autorais 2015 Revista Estudos Históricos

 

Revista Estudos Históricos
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da Escola de Ciências Sociais (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas (FGV)
 

eh@fgv.br