Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

Nas malhas do feitiço: O historiador e os encantos dos arquivos privados

Ângela Maria de Castro Gomes

Resumo


Este artigo articula o boom dos arquivos privados enquanto fonte e as mudanças ocorridas no campo da historiografia. Ocorridos nos anos 70, esses dois fatores refletem e também compõem o quadro de renovação da prática e da teoria historiográfica, num movimento que fez emergir novos objetos e fontes de pesquisa e, portanto, demandava novas metodologias. Ainda relacionando a transformação dessas duas instâncias do trabalho do historiador, a autora lembra que, nesse mesmo período, houve uma guinada no enfoque das pesquisas, cada vez mais voltadas à história cultural e, com isso, cada vez menos adeptas aos os paradigmas estruturalistas. A valorização do cotidiano e o uso crescente dos referenciais antropológicos completam a feição dessa nova história política, social e cultural, na qual o indivíduo ganha espaço, justificando assim o súbito encanto provocado pelos arquivos pessoais. Feitas de espontaneidade e para uso na esfera do privado, essas novas fontes se apresentaram (e ainda se apresentam) ao historiador com a sedução do fato concreto e vivido, o que muitas vezes se apresenta na forma de ¿verdade¿ sobre seu produtor. Cabe então, ao pesquisador, saber valer-se dessas fontes em toda sua fertilidade, sem no entanto fechar os olhos à ¿ilusão da verdade¿ que elas causam, demandando perene problematização e crítica da documentação.

Palavras-chave


Arquivos pessoais

Texto completo:

pdf


Direitos autorais

 

Revista Estudos Históricos
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da Escola de Ciências Sociais (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas (FGV)
 

eh@fgv.br