Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

A brasilidade verde-amarela: nacionalismo e regionalismo paulista

Mônica Velloso

Resumo


O debate modernista põe em oposição duas visões distintas do Brasil: uma temporal/histórica (Mário de Andrade) e outra espacial-geográfica (o grupo Verde-Amarelo). Enquanto a primeira procura fazer do regionalismo um instrumento para um melhor entendimento daquilo que é nacional, a segunda reforça a antiga tradição regionalista. Através de uma ideologia espacial-geográfica, os verde-amarelos defendem a hegemonia de São Paulo no conjunto da nação. Baseando-se na geografia, o grupo desqualifica o Rio de Janeiro como capital federal e mostra São Paulo como um exemplo de brasilidade e modernidade. São essas idéias que permitem explicar a origem do estado nacional, a formação do caráter nacional (a partir do regional) e a predominância da geografia sobre a história.

Texto completo:

pdf


Direitos autorais

 

Revista Estudos Históricos
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da Escola de Ciências Sociais (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas (FGV)
 

eh@fgv.br