Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

Desalinhamentos Cambiais, Interdependência, Crises, Guerras cambiais: Uma avaliação empírica

Emerson Fernandes Marçal

Resumo


Este trabalho tem por objetivo comparar metodologias distintas para cálculo de desalinhamento cambial além de testar a hipótese se as taxas de câmbio dos diversos países sofrem influencia apenas dos seus próprios fundamentos ou também da taxa de câmbio e dos fundamentos de outros países. Estas hipóteses consistem, respectivamente, na ausência ou na existência de interdependência entre os diversos países. Para realizar tal tarefa utilizam-se duas estratégias empíricas. A primeira baseia-se em avaliar se um modelo multivariado de séries de tempo usualmente utilizada na literatura de desalinhamento cambial com dados apenas do próprio país em análise pode ser melhorado através da adição de variáveis relacionadas a outros países usando o algoritmo proposto por David Hendry e co-autores. A segunda estratégia consiste em estimar um panel longo com as variáveis utilizadas para estimar desalinhamento cambial e testar formalmente a hipótese de ausência de interdependências. Os resultados sugerem que em ambas estratégias existe evidência de existência de interdependência. Esta ocorreria mais por conta de fatores ligados ao curto prazo, ou seja, o que explicaria o valor da taxa de câmbio de um país no longo prazo seriam seus próprios fundamentos enquanto no curto prazo fatores externos poderiam causar desvios.

Palavras-chave


desalinhamento cambial; cointegração; seleção de modelos

Texto completo:

PDF


Fundação Getulio Vargas / EPGE - Praia de Botafogo 190, 11º andar - Tel.: (21) 3799-5831

 

e-ISSN 0034-7140