Composição Ótima da Dívida Pública Brasileira e a Política Monetária

Authors

  • Adriano Sodré de Moraes Secretaria do Tesouro Nacional
  • José Angelo Divino Universidade Católica de Brasília

Keywords:

Composição da Dívida Pública, Política Fiscal, Política Monetária, Modelo DSGE.

Abstract

A gestão da dívida pública voltou a ocupar posição de destaque no debate acadêmico devido ao desequilíbrio fiscal atualmente enfrentado pelo Brasil. O objetivo desse artigo é analisar os efeitos da composição da dívida pública sobre a dinâmica da economia brasileira e sua interação com a política monetária. O modelo de Schmitt-Grohe e Uribe (2007) é ampliado para incluir títulos públicos indexados à taxa de juros, além dos títulos prefixados e indexados à inflação. A dinâmica da economia é simulada a partir de choques exógenos de política fiscal, produtividade e política monetária. Uma análise de bem-estar investiga a composição ótima da dívida pública e sua relação com a política monetária. Os resultados revelam que o choque fiscal pode ser inflacionário devido aos seus efeitos sobre a demanda agregada e o investimento; a composição da dívida pouco impacta na dinâmica das variáveis reais diante de um choque de produtividade; e, o choque de política monetária aumenta o endividamento público e, consequentemente, do nível de tributação requerido para o equilíbrio fiscal. Um maior grau de indexação da dívida pública eleva o bem-estar ao contribuir para a suavização da trajetória da dívida pública e da tributação na economia. O bem-estar também aumenta quando o Banco Central não responde ao hiato do produto e combate agressivamente a inflação em sua função de reação.

Published

19-06-2019

Issue

Section

Articles