Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

A TAXA DE JUROS NATURAL E A REGRA DE TAYLOR NO BRASIL: 2003/2015

Fernando de Holanda Barbosa, Felipe Diogo Camêlo, Igor Custodio João

Resumo


Este trabalho estima a taxa de juros natural e a Regra de Taylor para o Brasil no período 2003/2015. A taxa de juros natural de uma economia aberta pequena é igual a taxa de juros internacional adicionada aos prêmios de risco, do país e do câmbio. Este arcabouço permite analisar os componentes que determinam a elevada taxa de juros do mercado interbancário brasileiro. A taxa natural variou ao longo do tempo e é usada na estimação da Regra de Taylor.  Foram utilizadas variáveis do tipo 'dummy' para testar a hipótese de mudança no comportamento do Banco Central à taxa de inflação, ao hiato de produto e ao câmbio no Governo Dilma. A evidência empírica não rejeita a hipótese de que os coeficientes dos hiatos da inflação e do produto, da Regra de Taylor, mudaram no Governo Dilma.


Palavras-chave


Política monetária. Taxa de Juros Natural.Regra de Taylor. Economia Aberta Pequena.

Texto completo:

PDF


Fundação Getulio Vargas / EPGE - Praia de Botafogo 190, 11º andar - Tel.: (21) 3799-5831