Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

Sobre o Observatório de Inovação do Turismo

A necessidade de desenvolver o pensamento estratégico para atividade turística fez nascer o Observatório de Inovação do Turismo, criado pelo Núcleo de Estudos Avançados em Turismo e Hotelaria (NEATH), da Fundação Getúlio Vargas-RJ, por solicitação do extinto Ministério do Esporte e Turismo e da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), em 2002. No ano seguinte, o então recém-criado Ministério do Turismo e a Embratur mantiveram o apoio ao projeto. Em 2004, a Confederação Nacional do Comércio, o Sesc e o Senac se juntaram ao programa, incentivando sua continuidade.

A evolução do Observatório, desde a sua criação tem sido clara. Em sua primeira edição era privilegiada a discussão de textos produzidos pelos seus integrantes e as reuniões eram marcadas pela diversidade dos temas abordados. Durante a fase inicial deste projeto, buscava-se identificar as tendências do turismo internacional, avaliar os casos de sucesso aproximando-os da realidade brasileira, processá-los fomentando a discussão acadêmica e difundir o conhecimento gerado a partir desses trabalhos.

Os trabalhos resultantes desses encontros foram publicados no site da Embratur, tornando-se acessíveis a universidades, gestores e profissionais do setor em todo o país. Uma seleção deles foi reunida e publicada no livro Gestão em turismo e hotelaria - experiências públicas e privadas.

Em 2004, por sugestão do ex-ministro Caio Carvalho, que também integra o Conselho de Turismo da Confederação Nacional do Comércio, o Observatório incorporou à missão de pensar estratégias para o setor outra ainda mais complexa: a de propor soluções que contribuam para o desenvolvimento do turismo no país. Foi necessário então que o grupo repensasse sua metodologia. O Observatório passaria a ter áreas temáticas para estudar os principais gargalos e entraves ao desenvolvimento do turismo: Transporte Aéreo, Turismo Social, Desenvolvimento Sustentável, Formação Profissional, Tecnologia da Informação e Canais de Distribuição.

Já no ano de 2005, novas áreas foram propostas. Os temas Modelos de Gestão Local, Gestão da Inovação, Inovação Social e Turismo, Políticas Públicas, Projetos e Investimentos em Turismo e Ética e Cultura estão sendo discutidos e a realização dos trabalhos originará um livro que será publicado posteriormente. Vale ressaltar que neste ano o observatório adquiriu status de pós-graduação Lato Sensu e os textos de discussão e seminários desenvolvidos ao longo do curso, foram publicados no site do Núcleo de Estudos Avançados em Turismo e Hotelaria, a fim de contribuir para disseminação de conhecimento acerca dos temas propostos.

* alguns trechos foram retirados do livro Discussões e propostas para o turismo no Brasil: Observatório de Inovação do Turismo. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 2006