Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

Mosaico

Mosaico é uma publicação científica semestral do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da Escola de Ciências Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV/CPDOC), com sede na cidade do Rio de Janeiro.

A revista tem como objetivo promover a divulgação de conhecimento científico e enriquecer o debate acadêmico por meio da publicação de artigos voltados para as áreas de Ciências Humanas e Sociais, elaborados sob as mais diversas perspectivas teórico-historiográficas, respeitando a interdisciplinaridade e valorizando o diálogo entre as áreas. Também poderão ser publicadas outras produções acadêmicas, como resenhas de livros, entrevistas e notas de pesquisas.


Imagem para capa da revista

CHAMADA EDIÇÃO 2019.2

O presente número da Revista Mosaico traz como tema de Dossiê a violência política e as suas diversas formas a partir da atuação do Estado. A abordagem do Dossiê é interdisciplinar, assim como é o CPDOC e o seu corpo discente. Desse modo, o número abre espaço para reflexões sobre os períodos de exceção e autoritarismo, os espaços de violência dentro da ordem democrática, os usos da força pelo Estado para garantia do status quo, entre outras formas de aproximação da temática.

Reforçamos que as abordagens dos temas citados não esgotam as possibilidades. Importa-nos, no dossiê, representar que as formas de violência, institucionalizadas ou não, fazem parte da constituição do Estado e da disputa política.

À título de nota e de impulsão para o debate, faz-se importante a citação de Luis Felipe Miguel (2015)¹:

“Não há como discutir a relação entre violência e política focando apenas na violência aberta. Isso é deixar de fora metade da história. A violência estrutural é tão discricionária, tão física, tão material e tão prenhe de consequências quanto a violência aberta – ou ainda mais. Fazem parte dela, de maneira central, os mecanismos ideológicos que a invisibilizam. Da violência policial e da violência produzida pelas desigualdades estruturais, nós lembramos só de vez em quando e, muitas vezes, encontramos motivos para desculpá-las ou naturalizá-las. No entanto, elas estão em funcionamento todos os dias, 24 horas por dia, incidindo sobre os grupos em posição social subalterna. São centrais à operação das formas de dominação política, em qualquer sociedade”

Assim como o nome da Revista expõe, o objetivo é obter enfoques diversos dos múltiplos campos das Ciências Sociais. Essa multiplicidade trará a composição de um mosaico sobre a temática.

O prazo para envio das publicações é até dia 10/10/2019.

 

-

¹MIGUEL, Luis Felipe. Violência e Política. RBCS Vol. 30 n° 88 junho/2015

Notícias

 

Chamada para publicação N°16 (2019)

 

Chamada para publicação nº 16 (2019)

(Dossiê e seção livre)

Dossiê “Direito à cidade”

 

 

            Mosaico é a revista discente do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da Escola de Ciências Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV/CPDOC) que tem como objetivo divulgar artigos e outras produções voltadas para as áreas de Ciências Humanas e Sociais.

            Ao longo do século XX, a expansão das áreas urbanas com o crescimento industrial das cidades trouxe consequências pulsantes que estão presentes até os dias atuais. O direito à cidade engloba grande parte desses direitos em sua realidade, como ao transporte, à saúde, à educação, ao saneamento básico, inclusive ao lazer e à cultura.

            Pensar a cidade e inseri-la em um contexto histórico é pensar seu espaço de forma mais abrangente, sobretudo nas relações sociais que se constituem a partir dessa reorganização econômica e espacial. Isso significa trabalhar com as relações de trabalho, de migração, imigração, exploração, políticas públicas, organizações e movimentos que são formados a partir de questões comuns vividas em cada uma dessas realidades. Desse modo é fundamental recuperar o geógrafo David Harvey, que defende o fato de vivemos em uma época em que o centro do debate são os direitos humanos.[1]

            As análises sobre as cidades e seu entorno não dizem respeito somente aos técnicos, engenheiros e outros especialistas que se dedicam a definir a topografia das paisagens. Como afirma Lefebvre,

 

“As questões e reflexões urbanísticas saem dos círculos dos técnicos, dos

especialistas, dos intelectuais que pretendem estar na vanguarda dos fatos. Passam para o domínio público através de artigos de jornais e de livros de alcance e ambição diferentes. Ao mesmo tempo, o urbanismo torna-se ideologia e prática.”[2]

 

O presente número terá um dossiê dedicado a pensar e debater estudos sobre o direito à cidade e seu amplo alcance, que possam refletir e analisar diferentes temáticas – tais como perspectiva familiar, geracional, territorial, associativa, religiosa, cultural ou política. Além das contribuições para o dossiê, a revista também aceitará artigos para a seção de temas livres, resenhas e notas de pesquisa.

Chamada prorrogada: O prazo para envio das produções acadêmicas se encerrará no dia 20 de maio de 2019 e a previsão de publicação é julho de 2019.

 

Para detalhes acerca de nossas regras de submissão, acessem:

http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/mosaico/about/submissions#authorGuidelines

 

 



[1] HARVEY, David. O direito à cidade. Piauí, 82 edição, julho, 2013.

[2] LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. 5a ed. São Paulo: Centauro, 2001.

 

 
Publicado: 2019-04-18 Mais...
 
Outras notícias...

v. 10, n. 16 (2019)


Capa da revista