Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

Notícias


Chamada para publicação nº 15 (2018)

(Dossiê e seção livre)

 

Dossiê “130 anos de abolição no Brasil: Permanências e transformações”

Mosaico é a revista discente do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da Escola de Ciências Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV/CPDOC) que tem como objetivo divulgar artigos e outras produções voltadas para as áreas de Ciências Humanas e Sociais.   

            No dia 13 de maio desse ano, relembramos os 130 anos do decreto que proibiu a escravidão no Brasil, a Lei Áurea. Foram mais de três séculos de escravidão documentada a partir da política estatal, cujos efeitos recaem em nossos índices sociais ainda na atualidade. De acordo com o que fora apontado por Neusa Santos[1], a sociedade escravista, ao fazer do negro o pilar constitutivo da escravidão, “[...] demarcou o seu lugar, a maneira de tratar e ser tratado, os padrões de interação com o branco [...]” Contudo, apesar da abolição da escravidão, a espoliação social se mantém e busca novos elementos que a justifiquem, de modo a garantir os mesmos limites estreitos de participação da antiga ordem social.

A história apresentada nos livros didáticos e nas narrativas oficiais valorizam de forma inequívoca os efeitos da promulgação dessa lei, assim como os interesses políticos e econômicos envolvidos no contexto social no qual o enredo abolicionista se desenvolveu. Simultaneamente, os povos escravizados permaneceram sendo analisados enquanto objetos e menos como agentes produtores de saberes.

            Nesse sentido, faz-se necessário perceber que em pleno século XXI, ainda vivemos sob a herança escravista e colonizadora, em uma sociedade construída a partir de privilégios que ainda a sustentam. Como nas palavras da historiadora Giovana Xavier[2], “A história do pós-abolição tem mais a ver com o que começa depois do 13 de maio de 1888 do que com aquilo que termina com a assinatura da Lei Áurea”, ou seja, embora não possamos desconsiderar a importância do fato histórico de proibição da escravidão, é imprescindível compreender que o processo de dominação dos povos africanos e seus descendentes, bem como a resistência do mesmo ao longo desses anos, deve ser analisada e visibilizada como pauta.

            Atualmente vivemos o crescimento do debate acadêmico acerca da importância dos sujeitos que foram esquecidos e das narrativas silenciadas no pós-abolição. Dessa forma, a revista Mosaico abre chamada para o recebimento de artigos sobre os efeitos dos 130 anos de abolição, com o objetivo de divulgar estudos sobre o tema, bem como provocar o debate nas Ciências Humanas.

O prazo para envio das produções acadêmicas se encerrará no dia 21 de agosto de 2018 e a previsão de publicação é dezembro de 2018.

Para detalhes acerca de nossas regras de submissão, acessem:

http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/mosaico/about/submissions#authorGuidelines

 

 

Isabella Trindade Menezes

Maria Clara Mello

Maria Lúcia B. S. Alexandre



[1] SOUZA, Neusa Santos. Tornar-se Negro. Rio de Janeiro: Graal, 1983, p. 19.

[2] Artigo publicado no Nexo: “A “escrevivência” do pós-abolição: histórias que não se apagam”

 

 

Carta de solidariedade

 
Os antigos e atuais membros da Mosaico prestam sua solidariedade e apoio a Luciana Heymann, Professora Conselheira da revista, em virtude de sua demissão do CPDOC/FGV.  
Publicado: 2018-01-17 Mais...
 

Chamada para publicação nº 13 (2017-2)

 

Dossiê Migrações e Identidades

Mosaico é a revista discente do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da Escola de Ciências Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV/CPDOC) que tem como objetivo divulgar artigos e outras produções voltadas para as áreas de Ciências Humanas e Sociais.

 
Publicado: 2017-05-20 Mais...
 

Publicação do Dossiê Patrimônio e Museus

 
O Dossiê Patrimônio e Museus está com sua publicação prevista para o mês de junho de 2017.  
Publicado: 2017-05-19
 
1 a 3 de 3 itens