Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

Autor

Orientações aos Autores

Trabalhos com implicações relevantes para prática e pesquisa em gestão e políticas públicas constituem a prioridade da política editorial dos Cadernos Gestão Pública e Cidadania. Artigos teóricos e teóricos-empíricos bem como ensaios são bem-vindos, desde que corretos nas seguintes dimensões:
  • Dimensão teórica: O trabalho deve conter um quadro teórico bem desenvolvido e articulado, com conceitos claramente definidos, baseado em revisão bibliográfica pertinente, relevante e atualizada.
  • Dimensão metodológica: os trabalhos devem conter métodos variados, qualitativos ou quantitativos, desde que as opções metodológicas estejam em harmonia com o quadro teórico proposto e revelem que as técnicas de coleta, análise e teorização sejam apropriadas ao estudo em questão.
O artigo deve estimular reflexões e debates sem descuidar de boa e completa revisão de trabalhos anteriores, que configurem obras de referência para a construção de um trabalho relevante.
 
Os artigos devem ser inéditos e não podem estar, simultaneamente, sendo considerados para publicação em outro periódico.
 
As submissões podem ser em português, inglês ou espanhol, de autores brasileiros e estrangeiros, e devem estar de acordo com o Manual de Boas Práticas da Publicação Científica da ANPAD
 
Os artigos submetidos são analisados pelo iThenticate para rastreamento de similaridades.

Os CGPC adotam as Diretrizes RAE para formatação de artigos, com adaptações. Para mais informações acesse http://rae.fgv.br/manual-rae

Os Cadernos não cobram taxas de processamento de artigos (APCs) nem encargos sobre submissão.

Sugestões para elaborar um trabalho científico

Os artigos, logo nas primeiras linhas da introdução, devem informar de modo explícito seu objetivo e demonstrar, ao longo do texto, coerência com o objetivo. Caso a proposta seja avançar na dimensão teórica, recomenda-se a consulta ao “O que constitui uma contribuição teórica?” (Whetten, 2003). Sugestões apontadas no texto referido foram resumidas e adaptadas a seguir, consistindo principalmente no endereçamento adequado das seguintes questões:

  1. Quais fatores (variáveis, construtos e conceitos) devem ser considerados para a compreensão do fenômeno em questão? Como estes fatores se relacionam, mesmo que suas relações não possam ser testadas? Por que se justificam a seleção dos fatores e as relações propostas?
  2. Como e quanto adições e/ou subtrações de fatores a modelos teóricos já existentes sobre o tema podem alterá-los substancialmente?
  3. Quais perspectivas de outros campos de estudo desafiam os fundamentos que suportam as teorias mais difundidas sobre o fenômeno em análise?
  4. Quais elementos contextuais e temporais delimitam fronteiras de generalização e constituem o alcance da teoria apresentada? Há explicações para a eventual falta de aplicabilidade da teoria proposta a contextos específicos?
  5. O que há de novo sendo proposto? Quais são as implicações práticas e científicas da lógica que fundamenta o trabalho e das evidências apresentadas?
  6. O artigo trata de um tema pertencente aos interesses de pesquisa contemporâneos dos estudiosos da área?
Diretrizes delineadas no texto “Getting a manuscript to publication standard” (Arnould, 2006), resumidas e adaptadas a seguir, podem ser observadas. Sugerimos, no entanto, a leitura do texto integral.
  1. Introduzir a área geral de pesquisa, seguida do propósito específico do artigo e de suas relações com pesquisas-chave preexistentes sobre o tema.
  2. Especificar o que é conhecido sobre o fenômeno estudado e o que é desconhecido, evidenciando lacunas de conhecimento.
  3. Esclarecer por que as lacunas identificadas são importantes e como sua investigação pode auxiliar o avanço de conhecimento no campo de estudo.
  4. Derivar a hipótese testada do tema geral e do objetivo imediato (lacuna a ser preenchida) da pesquisa, quando cabível.
  5. Explicar como a pesquisa realizada viabiliza uma solução para a compreensão do problema de pesquisa.
  6. Detalhar as metas do estudo de forma que representem respostas às demandas de pesquisa definidas do trabalho.
  7. Quando aplicável, descrever as análises empíricas conduzidas, além de seus resultados específicos e impactos teóricos e práticos.
  8. Categorizar os resultados por assuntos e evidenciar sua relevância diante dos objetivos específicos definidos no trabalho.
  9. Explicitar nas conclusões por que o produto do trabalho é relevante e como pode auxiliar a teoria e a prática no campo de conhecimento estudado, sob o enfoque das demandas estabelecidas como objetivos de pesquisa.
  10. Comparar o que foi anunciado com aquilo que é entregue pelo artigo, corrigindo divergências eventualmente encontradas e conferindo coerência entre as partes componentes do texto.

Os artigos devem observar padrões de formatação, citações e referências descritos nas Condições para submissão.

É muito importante que os autores tomem conhecimento do Código de Ética RAE-publicações*.

 

Referências
Arnould, E. J. (2006). Getting a manuscript to publication standardDesign Research Quarterly1(1), 21-23.
Whetten, D. A. (2003). O que constitui uma contribuição teórica? RAE-Revista de Administração de Empresas43(3), 69-73.
Whetten, D. A. (1989). What constitutes a theoretical contribution? Academy of Management Review14(4), 490-495. Doi: 10.5465/AMR.1989.4308371

*RAE-publicações é uma área da Fundação Getulio Vargas (FGV), vinculada à Escola de Administração de Empresas de São Paulo, que publica a RAE-Revista de Administração de Empresas, a GV-executivo, a GVcasos, o Cadernos Gestão Pública e Cidadania e o JOSCM-Journal of Operations and Supply Chain Management.