Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

Morar-trabalhar e a axiomatização capitalista: um estudo baseado em mídia do segmento de arquitetura, decoração e design

Ana Carolina dos Santos Bortolini, Carmem Ligia Iochins Grisci, Ana Elísia da Costa

Resumo


Novas formas de produzir e trabalhar transcendem limites tradicionais de espaço e tempo e (re)desenham a vida cotidiana. Buscou-se responder como a axiomática capitalista, na atual configuração do trabalho sob a noção de trabalho imaterial, interfere no lar – espaço por excelência da privacidade e da intimidade. Para identificar, apresentar e analisar formas simbólicas relativas à operação da axiomática capitalista no âmbito do lar, o estudo exploratório longitudinal tomou a mídia – afeita à modulação de formas de consumo e produção da vida – um dos elementos que serve à propagação da axiomática capitalista. Da coleta de dados, tomou-se formas simbólicas veiculadas em 120 edições (2006-2016) de Casa Cláudia, mídia dos segmentos de arquitetura, decoração e design. A análise à luz da Metodologia da Interpretação mostrou dois eixos: (i) (com)posição do tema na revista, e (ii) (re)funcionalização, rentabilização e naturalização do lar para o trabalho. Ambos os eixos indicam o morar-trabalhar como mais um axioma da axiomática capitalista. Por meio da mídia – numa captura estimulada, disseminada e dissimulada – a axiomática capitalista tem no morar-trabalhar a extensão do capital/trabalho sem constrangimentos, até mesmo nos menores e mais inusitados espaços da vida íntima.

Palavras-chave


Trabalho imaterial. Axiomática capitalista. Morar-trabalhar.

Texto completo:

PDF


Apoio
        
Rua Jornalista Orlando Dantas, 30 - sala 107, Botafogo - Rio de Janeiro - RJ/Brasil  CEP: 22231-010 | Telefone: +55 (21) 3083-2731 | E-mai: cadernosebape@fgv.br