Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

As caminhoneiras: uma carona nas discussões de gênero, trabalho e identidade

Julice Salvagni

Resumo


Este estudo considera caminhoneira a mulher que, para além de ser motorista de caminhão, opta por trabalhar com rotas longas. Desenvolvemos a problemática da elaboração da identidade de gênero no trabalho por parte da caminhoneira, especialmente do ponto de vista das características de uma atividade itinerante. A carona faz parte de uma pesquisa etnográfica, que visa à participação ativa da pesquisadora nas viagens da caminhoneira e das caminhoneiras enquanto locutoras dessa realidade. A identidade é vista a partir da noção de identificação, diferença e différance, a fim de pensar a realidade da caminhoneira de modo articulado com sua rotina itinerante. Gênero no trabalho trata dos formatos de legitimação dos papéis e identidades sociais solidificados na atualidade, sobretudo do ponto de vista da crítica feminista à biologia do sexo, que desconstrói o mito de suposta vantagem de força física. A compreensão de não lugares trata da transitoriedade característica da ocupação, já que os resultados apontam o desenrolar de uma identidade de fronteira. Abordamos o trabalho por meio do entendimento das hierarquias, dos poderes e da divisão sexista do trabalho, onde enfatizamos a maternidade como principal entrave à continuidade da mulher na atividade de caminhoneira. Por fim, destacamos que, embora a mulher esteja conquistando novos espaços de trabalho, as relações hierárquicas e de poder se reorganizam no interior das instituições, criando novas relações de gênero, mas não menos desiguais.


Palavras-chave


Caminhoneiras. Trabalho. Gênero. Identidade. Não lugares.

Texto completo:

PDF


Apoio
        
Rua Jornalista Orlando Dantas, 30 - sala 107, Botafogo - Rio de Janeiro - RJ/Brasil  CEP: 22231-010 | Telefone: +55 (21) 3083-2731 | E-mai: cadernosebape@fgv.br