Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

A "antropologia" do Guerreiro: a história do conceito de homem parentético. Em memória a Eliana Guerreiro Ramos (1949-2003)

Ariston Azevedo, Renata Albernaz

Resumo


No presente artigo destacamos, da trajetória intelectual do sociólogo Alberto Guerreiro Ramos, a sua constante preocupação com a condição do homem contemporâneo. Neste sentido, dois momentos em sua trajetória podem ser diferenciados: no primeiro, fortemente influenciado pelo pensamento de intelectuais cristãos, o autor apegou-se à categoria de pessoa humana; no segundo, já demonstrando autonomia frente àquelas influências e secularizando a temática, o autor cunhou a expressão homem parentético, esta que, sem perder de vista alguns aspectos associados à primeira, permeou a sua propositura de uma nova ciência das organizações. Esta característica do pensamento guerreiriano nos faz afirmar que a sua sociologia é, predominantemente, antropocêntrica, ou seja, toma o homem como a principal referência no que diz respeito à planificação social e às especulações teóricas.

Texto completo:

PDF


Apoio
        
Rua Jornalista Orlando Dantas, 30 - sala 107, Botafogo - Rio de Janeiro - RJ/Brasil  CEP: 22231-010 | Telefone: +55 (21) 3083-2731 | E-mai: cadernosebape@fgv.br