Logomarca da FGV

Repositório FGV de Periódicos e Revistas

“Rio+20: O que podemos aprender com o processo de discussão e o que está faltando”

José A. Puppim de Oliveira

Resumo


A Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (CNUMAD), ou Rio-92 ou Eco-92, que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro, colocou o conceito de Desenvolvimento Sustentável definitivamente na agenda política, em todos os níveis, do global ao local. Vinte anos depois, embora avanços importantes tenham sido feitos em várias áreas, o mundo ainda tem dificuldades para implementar a agenda da CNUMAD e direcionar a humanidade para um desenvolvimento mais sustentável. Assim, a ONU determinou dois temas como o foco da Cimeira da Terra em 2012, ou Rio+20: Arcabouço Institucional para o Desenvolvimento Sustentável (IFSD em inglês) e economia verde no contexto de desenvolvimento sustentável e erradicação da pobreza. Este artigo faz uma análise geral das discussões geradas pela Rio+20. O artigo começa com uma revisão dos debates desde a CNUMAD, incluindo as discussões recentes sobre os dois temas da Rio+20. O texto avança com uma análise dos debates da Rio+20 examinando porque e como a agenda avançou em certas áreas e quais os obstáculos para avançar a agenda da economia verde e boa governança ambiental para atingir um desenvolvimento mais sustentável. O artigo conclui que, além dos enormes obstáculos para implementar a agenda da economia verde e IFSD, existem ainda lacunas conceituais nas discussões, por exemplo temas como equidade e necessidade de mudança de valores, como também o aprofundamento das discussões de governança além do plano internacional.


Texto completo:

PDF


Apoio
        
Rua Jornalista Orlando Dantas, 30 - sala 107, Botafogo - Rio de Janeiro - RJ/Brasil  CEP: 22231-010 | Telefone: +55 (21) 3083-2731 | E-mail: cadernosebape@fgv.br