Desafios da corporalidade na pesquisa acadêmica

Autores

  • Maria Tereza Flores-Pereira Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Eduardo Davel Universidade Federal da Bahia
  • Dóris Dornelles de Almeida Universidade Federal de Viçosa-UFV

Palavras-chave:

Metodologia de pesquisa, Corporalidade, Etnografia

Resumo

Nosso objetivo neste artigo é explorar, discutir e mapear os desafios da corporalidade (embodiment) no âmbito da metodologia de pesquisa. Consequentemente, estruturamos o artigo dentro da tradição qualitativa que se orienta pela ênfase nas atividades de interpretação, exploração e descrição. Privilegiamos duas fontes de informação: documentos existentes (pesquisas sobre corporalidade publicadas em forma de tese, dissertação, artigo, livro e capítulo de livro) e entrevistas com pesquisadoras, especialistas no tema da corporalidade. Concretizamos o resultado desta pesquisa na formulação, descrição e discussão de nove desafios decorrentes da corporalidade no âmbito da metodologia de pesquisa. Organizamos esses desafios a partir de três momentos-chave do processo metodológico: a) planejamento da pesquisa; b) interação com o campo de pesquisa; e c) análise do material empírico. Além disso, constatamos que a etnografia é a abordagem metodológica privilegiada pelos pesquisadores da corporalidade.

Biografias Autor

Maria Tereza Flores-Pereira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Sou doutora, mestre e bacharel em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com doutorado sanduíche pela HEC Montréal. Pesquiso a temática da cultura e do simbolismo nas organizações a partir do material teórico do corpo sócio-histórico-cultural e do embodiment (corporalidade) produzido nas Ciências Humanas, Socias e Filosofia. Ocupo a posição de Professora Adjunta (DE) da Escola de Administração da UFRGS. 

Eduardo Davel, Universidade Federal da Bahia

Graduação em Administração pela Universidade Federal do Espírito Santo. Ph.D. em management pela École des Hautes études commerciales de Montréal. Doutorado sanduíche na Graduate Faculty of Political and Social Science (New School for Social Research, New York). Pesquisas interdisciplinares no campo da Administração e da Análise organizacional enfocando temáticas como aprendizagem, criatividade empreendedorismo, gerência, sociomaterialidade, prática, carreiras, cultura e emoção. Experiência de pesquisa em setores intensivos em simbolismo, criatividade e emoção, como as indústrias criativas, organizações artesanais e familiares.

Dóris Dornelles de Almeida, Universidade Federal de Viçosa-UFV

Professora na Universidade Federal de Viçosa-UFV no Departamento Artes e Humaindades, Curso Dança; coordenadora disciplinas Ballet Clássico e Música. Bailarina com experiência profissional nacional e internacional em companhias de dança desde 1994. Atuo como bailarina, coreógrafa e pesquisadora nas Ciências Humanas, Sociais, Filosofia e Arte na temática da dança, cultura nas organizações e indústria cultural, baseada na perspectiva do corpo sócio-histórico-cultural e do embodiment (corporalidade). Possuo Mestrado em Administração e Negócios com Louvor pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul-PUCRS (2012), Especialização em Teoria do Teatro-Cena Contemporânea pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul-UFRGS (2005), Graduação em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS (2006) e Graduação em Bacharel em Artes-Danca - Folkwang Hochschule Essen- Alemanha (2002). 

Publicado

22-05-2017

Como Citar

Flores-Pereira, M. T., Davel, E., & Almeida, D. D. de. (2017). Desafios da corporalidade na pesquisa acadêmica. Cadernos EBAPE.BR, 15(2), 194-208. Recuperado de http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cadernosebape/article/view/49064

Edição

Seção

Artigos