O paradoxo das Palmas: análise do (des)uso da moeda social no “bairro da economia solidária”

Autores

  • Ariádne Scalfoni Rigo NPGA/UFBA
  • Genauto Carvalho de França Filho NPGA/UFBA

Palavras-chave:

Moeda Social, Banco Comunitário, Banco Palmas

Resumo

Os diferentes contextos e usos de moedas sociais no cenário nacional e internacional têm estimulado estudiosos a buscar compreender as especificidades de cada experiência. A moeda social mais conhecida no Brasil, a Palmas, criada pelo Banco Palmas em Fortaleza, encontra-se atualmente em uma situação paradoxal: após quinze anos, sua circulação tem diminuído notavelmente entre os atores do território ao mesmo tempo que o consumo no bairro se mantém elevado. Neste trabalho investiga-se o circuito constituído pelo uso da Palmas para compreender seu fluxo no território e o progressivo processo de desuso. A reflexão sobre a experiência do uso da moeda social baseia-se, aqui, na noção de moeda da antropologia econômica e da teoria da dádiva. Para além da situação são propostas reflexões entendidas como pertinentes para pensar as moedas sociais dos Bancos Comunitários de Desenvolvimento (BCDs) no país. As estratégias da pesquisa assumiram um caminho multimetodológico e estão resumidas em duas fases. A primeira consistiu numa imersão etnográfica no Banco Palmas em janeiro de 2012. A segunda fase consistiu no mapeamento detalhado do circuito monetário alternativo do território por meio da construção gráfica deste utilizando um software de análise de redes sociais. A reflexão delineada com base na investigação aponta para a construção de uma filosofia de uso das moedas sociais apoiada na confiança dos atores locais nas ações do Banco Palmas. No nível mais concreto, identifica-se que a manutenção do circuito tem ocorrido mais pela sua carga simbólica e política do que pela satisfação das necessidades econômicas.

Biografia Autor

Ariádne Scalfoni Rigo, NPGA/UFBA

Professora da Escola de Administração da UFBA, membro do Nucleo de Pós graduação em administração (NPGA/UFBA) e da Incubadora Tecnológica em Economia Solidária (ITES/UFBA).

Publicado

24-03-2017

Como Citar

Rigo, A. S., & França Filho, G. C. de. (2017). O paradoxo das Palmas: análise do (des)uso da moeda social no “bairro da economia solidária”. Cadernos EBAPE.BR, 15(1), 169-193. Recuperado de http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cadernosebape/article/view/41258

Edição

Seção

Artigos