Show simple item record

dc.contributor.advisorZurron Ocio, Domingo
dc.contributor.authorCozac, Luís Felipe Lebert
dc.date.accessioned2010-04-20T20:18:31Z
dc.date.available2010-04-20T20:18:31Z
dc.date.issued1994-11-10
dc.identifier.citationCOZAC, Luís Felipe Lebert. Pensamento neo-schumpeteriano: fronteiras, natureza, incentivos e condições para a ocorrência de mudanças tecnológicas. Dissertação (Mestrado em Economia de Empresas) - FGV - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 1994.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10438/5430
dc.description.abstractA inovação, que não se pode determinar como resultado de uma mera intervenção racional, pode apresentar-se sob diversas formas; das mais óbvias e tradicionalmente consideradas e estudadas (novos processos e novos produtos), às novas soluções organizativas, ao uso de novos sistemas informativos e de apoio a decisões e às novas formas de distribuição comercial. O conceito de inovação estende-se também à adoção diferenciada de novos métodos na logística da relação técnico-comercial entre fornecedor e empresa, e à adoção de programas e processos como planejamento estratégico, reengenharia, qualidade total e novas técnicas de treinamento, avaliação de desempenho, e administração participativa. A inovação se realiza com diferentes tipos de tecnologia, tem caráter multidimensional, e não está ligada somente a tecnologia da produção industrial, no seu sentido tradicional, mas a qualquer tipo de atividade que se desenvolva em uma empresa produtora ou utilizadora de bens ou de serviçospor
dc.language.isopor
dc.subjectEconomia de empresaspor
dc.titlePensamento neo-schumpeteriano: fronteiras, natureza, incentivos e condições para a ocorrência de mudanças tecnológicaspor
dc.typeDissertationeng
dc.subject.areaEconomiapor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EAESPpor
dc.subject.bibliodataInovações tecnológicaspor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record