Show simple item record

dc.contributor.advisorVieira, Paulo Reis
dc.contributor.authorSouza, Maria Isabel Ferreira de
dc.contributor.otherPorto, Silvia Marta
dc.contributor.otherSouza, Valéria de
dc.date.accessioned2009-11-18T18:56:24Z
dc.date.available2009-11-18T18:56:24Z
dc.date.issued1997
dc.identifier.citationSOUZA, Maria Isabel Ferreira de. Equidade e descentralização: os mitos do SUS. Dissertação (Mestrado em Administração) - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getúlio Vargas - FGV, Rio de Janeiro, 1997.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10438/3389
dc.description.abstractThe Unique System Health (SUS) was shaped to be an instrument of social justice, using the strategy of decentralization Politico-Administrative, according to the equity, universalization and integrity of the health actions. In the me anti me. after eight years of approval and constitutional legitimation, the implantation proceeding has resigned deflexions during the tragectory idealized by the Sanitarian Reíorm. In this dissertation will be íocalized the possible causes 01' the SUS misguiding obstacles, pointing out two conceiving questions: The equity and the health services decentralization. The great interrogation that permeates alI the work is through the questioning about the SUS possibility, while a theoretical model, realized in Utopian casts, passible to be transformed in more one myth of the brazilian social imaginary, than an effective Political-social, turned to the acquisition of a participating and democratical society.eng
dc.description.abstractO Sistema Único de Saúde (SUS) foi configurado para ser um instrumento de justiça social, utilizando a estratégia de descentralização político-administrativa, com vistas à equidade, universalização e integridade das ações de saúde. No entanto, após oito anos de aprovação e legitimação constitucional, o seu processo de implantação tem sofrido desvios na sua trajetória idealizada pela Reforma Sanitária. Nesta dissertação serão enfocadas as possíveis causas dos obstáculos desencaminhadores do SUS. Pontualizando duas questões conceituais: a equidade e a descentralização dos serviços de saúde. A grande interrogação que permeia todo o trabalho está no questionamento sobre a factibilidade do SUS, enquanto um modelo teórico, realizado em moldes utópicos, passível de transformar-se em mais um mito do imaginário social brasileiro, do que uma efetiva política social, voltada para a obtenção de uma sociedade democrática e participativa.por
dc.language.isopor
dc.rightsTodo cuidado foi dispensado para respeitar os direitos autorais deste trabalho. Entretanto, caso esta obra aqui depositada seja protegida por direitos autorais externos a esta instituição, contamos com a compreensão do autor e solicitamos que o mesmo faça contato através do Fale Conosco para que possamos tomar as providências cabíveis.por
dc.subjectPolíticas e estratégiaspor
dc.titleEquidade e descentralização: os mitos do SUSpor
dc.typeDissertationeng
dc.subject.areaAdministração de empresaspor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EBAPEpor
dc.subject.bibliodataSistema Único de Saúde (Brasil)por
dc.subject.bibliodataPolítica de saúde - Brasilpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record