Show simple item record

dc.contributor.advisorCyrino, Álvaro Bruno
dc.contributor.authorPelli, Luiz Gustavo Alves
dc.date.accessioned2020-01-28T14:46:04Z
dc.date.available2020-01-28T14:46:04Z
dc.date.issued2019-12-05
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10438/28763
dc.description.abstractObjetivo: Esta pesquisa investiga os motivos pelos quais as gestoras de fundos de Investimento não são listadas na Bolsa de Valores Brasileira. O tema abertura de capital está ganhando relevância, em função do processo de transformação da indústria de fundos. As plataformas digitais estão mudando o modelo de negócio e as gestoras necessitarão cada vez mais de vantagens competitivas. Metodologia: Para a realização deste estudo, foi executada pesquisa qualitativa, com a participação de nove entrevistados, que representam, aproximadamente, 50% do mercado de gestão no Brasil. Os entrevistados foram selecionados por intermédio da técnica metodológica snowball, e são representantes de assets de bancos privados, públicos, independentes e especialistas do mercado. Adotou-se uma pesquisa do tipo estudo de caso, sendo a natureza deste estudo exploratória e descritiva. Resultados: Foi possível identificar o modelo de distribuição de fundos de investimento como fator chave na ausência de assets listadas na bolsa brasileira, em função da falta de um modelo de precificação e conflitos no canal distribuidor. A perda dos benefícios privados de controle foi considerada outro fator crítico para essa decisão. Na visão da governança corporativa, considera-se que as assets management de bancos são as mais preparadas para um possível processo de IPO. Limitações: A pesquisa apresenta como principal limitação o número restrito de entrevistas realizadas, dado que, o Brasil conta com aproximadamente 600 assets. Contribuições práticas: A partir dos resultados, conclui-se que é necessário desenvolver uma modelagem adequada para apuração do custo de distribuição de fundos no Brasil, o que dificulta uma precificação apropriada das gestoras em um processo de abertura de capital. Além disso, identificou-se a necessidade do desenvolvimento de estudos sobre efeito de uma eventual separação de uma gestora de conglomerado, do seu banco controlador e distribuidor dos fundos de investimento. Contribuições acadêmicas: Este estudo contribui para a discussão de um tema pouco debatido no país, ao lançar luz sobre as perspectivas dos participantes do mercado sobre a ausência de assets na bolsa de valores brasileira, sinalizando alguns dos pontos sensíveis a serem observados, para eventual início de processo de IPO.por
dc.description.abstractPurpose: This research investigates why investment fund managers are not listed on the Brazilian Stock Exchange. The issue of IPO is gaining relevance due to the transformation process of the fund industry. Digital platforms are changing the business model and managers will increasingly need competitive advantages. Methodology: To carry out this study, a qualitative research was carried out with the participation of nine respondents, representing approximately 50% of the management market in Brazil. Respondents were selected using the snowball methodological technique, and are representatives of assets from private, public, independent and market experts. We adopted a case study research, being the nature of this exploratory and descriptive study. Findings: It was possible to identify the investment fund distribution model as a key factor in the absence of assets listed on the Brazilian stock exchange, due to the lack of a pricing model and conflicts in the distribution channel. The loss of private control benefits was considered another critical factor in this decision. In the corporate governance view, bank asset management is the most prepared for a possible IPO process. Research limitations: The research has as its main limitation the limited number of interviews conducted, given that Brazil has approximately 600 assets. Practical implications: From the results, it is concluded that it is necessary to develop an appropriate modeling to calculate the cost of distribution of funds in Brazil, which hinders an appropriate pricing of managers in a process of going public. In addition, the need to develop studies on the effect of possible separation of a conglomerate manager, its controlling bank and distributor of investment funds was identified. Academic implications: This study contributes to the discussion of a little debated topic in the country, by shedding light on the perspectives of market participants on the absence of assets on the Brazilian stock exchange, pointing out some of the sensitive points to be observed, for the possible beginning of the process of IPO.eng
dc.language.isopor
dc.subjectGestoras de fundos de investimentopor
dc.subjectAbertura de capitalpor
dc.subjectFundos de investimentopor
dc.subjectAsset managementeng
dc.subjectIPO – Initial Public Offeringeng
dc.subjectInvestment fundseng
dc.titlePor que as Gestoras de Fundos de Investimento não abrem o capital? : Um Estudo de Caso da Indústria de Fundos no Brasilpor
dc.typeThesiseng
dc.subject.areaFinançaspor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EBAPEpor
dc.subject.bibliodataFundos de investimento - Administraçãopor
dc.subject.bibliodataMercado de capitaispor
dc.subject.bibliodataInvestimentos - Administraçãopor
dc.degree.date2019-12-05
dc.contributor.memberFontes Filho, Joaquim Rubens
dc.contributor.memberEid Júnior, William


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record