Show simple item record

dc.contributor.advisorOliveira, Lucia Barbosa de
dc.contributor.authorNajnudel, Priscila Sarmento
dc.date.accessioned2020-01-07T13:13:35Z
dc.date.available2020-01-07T13:13:35Z
dc.date.issued2019-12-04
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10438/28614
dc.description.abstractObjetivo – O objetivo desta pesquisa foi investigar os efeitos da liderança abusiva sobre o engajamento no trabalho, o estresse e intenção de rotatividade. Também foi avaliado em que medida as avaliações autorreferentes dos participantes atuam como moderadores do impacto da liderança abusiva sobre o engajamento e o estresse. Por fim, foi analisado o efeito mediador do engajamento e do estresse na relação entre liderança abusiva e intenção de rotatividade. Metodologia – As hipóteses propostas foram testadas por meio de análises de regressão múltipla, junto a uma amostra de 172 empregados de empresas públicas e privadas. Para as análises dos efeitos mediadores, foram conduzidos testes de Sobel. Resultados – Os resultados da pesquisa mostraram que a liderança abusiva influencia negativamente o engajamento e contribui para aumentar o estresse e a intenção de rotatividade. As avaliações autorreferentes tiveram efeito moderador da relação entre liderança abusiva e engajamento, mas não entre liderança abusiva e estresse. Por fim, foi verificado que a relação entre liderança abusiva e intenção de rotatividade é mediada pelo engajamento e o estresse. Limitações – A amostra foi obtida por conveniência, a partir da rede de relacionamentos da autora, de forma que os resultados não podem ser generalizados para o conjunto da população. Além disso, todas as variáveis foram obtidas a partir dos relatos dos próprios participantes e em um único momento do tempo. Aplicabilidade do trabalho – Na medida em que ficou evidenciado o efeito deletério de líderes abusivos, sugere-se às áreas de gestão de pessoas que desenvolvam ações de treinamento, comunicação e conscientização de líderes organizacionais sobre a importância de uma atuação consistente, respeitosa e ética perante seus subordinados. Contribuições para a sociedade – Espera-se que os resultados da pesquisa estimulem um debate mais amplo sobre a liderança abusiva nas organizações brasileiras, conduta que tende a ter efeitos negativos tanto para organizações quanto para seus empregados. Originalidade – O presente estudo aborda uma faceta da liderança ainda pouco explorada na literatura nacional, além de avaliar diferentes consequências associadas ao comportamento abusivo de profissionais que ocupam posições de liderança.por
dc.description.abstractPurpose – The purpose of this research was to investigate the effects of abusive leadership on work engagement, stress and turnover intent. It was also assessed the extent to which participants' core self-evaluations act as moderators of the impact of abusive leadership on engagement and stress. Finally, the mediating effect of engagement and stress on the relationship between abusive leadership and turnover intention was analyzed. Design/methodology/approach – The proposed hypotheses were tested by multiple regression analysis, with a sample of 172 employees from public and private companies. For the mediating effects, Sobel tests were conducted. Findings – Results showed that abusive leadership negatively influences engagement and contributes to increased stress and turnover intention. Core self-evaluations had a moderating effect on the relationship between abusive leadership and engagement, but not between abusive leadership and stress. Finally, it was found that the relationship between abusive leadership and intention to turn is mediated by engagement and stress. Research limitations – Data was collected through a convenience sample, obtained from the author's relationship network, so that the results cannot be generalized to the population as a whole. In addition, all variables were obtained from the participants' own reports and in a single moment of time. Practical implications – Since the results show the deleterious effects of abusive leadership, the human resource management departments should develop training programs, as well as communication initiatives for organizational leaders, highlighting the importance of consistent, respectful and ethical behaviors towards their subordinates. Social implications – We hope that these results stimulate a broader debate about abusive leadership in Brazilian organizations, a conduct that tends to have negative effects on both organizations and their employees. Originality – This study addresses a facet of leadership that has been seldom explored in the national literature, and evaluates the different consequences associated with the abusive behavior of professionals in leadership positions.eng
dc.language.isopor
dc.subjectLiderança abusivapor
dc.subjectEngajamento no trabalhopor
dc.subjectEstressepor
dc.subjectIntenção de rotatividadepor
dc.subjectAvaliações autorreferentespor
dc.subjectAbusive leadershipeng
dc.subjectWork engagementeng
dc.subjectStresseng
dc.subjectTurnover intentioneng
dc.subjectCore selfevaluationseng
dc.titleA influência da liderança abusiva no engajamento, no estresse e na intenção de rotatividade : um estudo com funcionários de empresas públicas e privadaspor
dc.typeDissertationeng
dc.subject.areaAdministração de empresaspor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EBAPEpor
dc.subject.bibliodataLiderançapor
dc.subject.bibliodataLiderança - Aspectos psicológicospor
dc.subject.bibliodataStress ocupacionalpor
dc.subject.bibliodataMotivação no trabalhopor
dc.degree.date2019-12-04
dc.contributor.memberMansur, Juliana Arcoverde
dc.contributor.memberCavazotte, Flávia de Souza Costa Neves


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record