Show simple item record

dc.contributor.advisorCardoso, Ricardo Lopes
dc.contributor.authorBorges, Samuel Luiz Dias
dc.date.accessioned2019-06-13T17:33:31Z
dc.date.available2019-06-13T17:33:31Z
dc.date.issued2019-06-07
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/10438/27577
dc.description.abstractStarting in 2019, Brazilian companies will have to recognize in the balance sheet not only the financial leases, but also the operating leases. This requirement arises from the entry into force of IFRS 16. Therefore, this research seeks to identify the effects of the adoption of IFRS 16 on the performance indicators of tenant entities in the year 2018 to predict their behavior for the year 2019 when the standard will take effect. Even though several studies have been written in order to understand the effect of this norm on the main financial indicators, this work brings an updated view on 2018 financial statements. According to this standard, a lease is a contract that gives the lessee the right to use the asset for a certain period. However, recognition of the right of use and its underlying responsibility in the balance sheet will to change the reading and interpretation of ratios and the way in which we evaluate the performance of the companies. For this purpose, a sample of 40 publicly retail traded companies with the publication of the financial statements on the Brazilian stock exchange B3 and others Europeans stocks exchange were studied. The values corresponding to the operating leases were identified as well the treatment given by audit firms in the financial statement of the companies identifying as a key audit matters or not. A comparison was made between the indicator indebtedness versus EBITDA and on the indicator debt versus equity looking for changes before and after the norm into force. The result of the research identified an amount of 58 billions of dollars related to operating lease contracts not included in the balance sheets of the companies analyzed and it was verified that there will be a significant change in the indicators indebtedness of the lessees. In addition, there will be a significant increase of EBITDA of the companies once that all leasing expenses will be booked as an amortization, that is, after the EBITDA.eng
dc.description.abstractA partir de 2019, as empresas brasileiras terão de reconhecer em seus balanços não apenas os arrendamentos financeiros, mas também os arrendamentos operacionais. Essa exigência decorre da entrada em vigor da IFRS 16. Portanto, essa pesquisa busca identificar os efeitos da adoção da IFRS 16 nos indicadores de desempenho das entidades arrendatárias no ano de 2018 para prever seu comportamento para o ano de 2019 quando a norma passará a viger. Embora vários estudos tenham sido escritos para entender o efeito dessa norma nos principais indicadores financeiros, este trabalho traz uma visão atualizada das demonstrações financeiras 2018. De acordo, com esta norma, uma locação é um contrato que confere ao locatário o direito de utilizar o ativo durante um determinado período. No entanto, o reconhecimento do direito de uso e sua contabilização subjacente no balanço patrimonial irão alterar a leitura, interpretação dos índices e a maneira pela qual avaliamos o desempenho das empresas. Para tanto, foi estudada uma amostra de 40 empresas com capital aberto do ramo varejista e com publicação das demonstrações financeiras na bolsa brasileira, B3 e de outras bolsas europeias. Os valores correspondentes aos arrendamentos operacionais foram identificados, bem como o tratamento dado pelas firmas de auditoria nas demonstrações financeiras das empresas identificando se como principal assunto de auditoria ou não. Foram comparados os indicadores de endividamento líquido versus EBITDA e o indicador dívida líquida versus o patrimônio líquido buscando mudanças nos números antes e após a entrada em vigor da norma. O resultado da pesquisa identificou um montante de 58 bilhões de dólares referentes a contrato de arrendamento operacional não adicionados aos balanços das empresas analisadas e verificou-se que haverá uma mudança significativa nos indicadores de endividamento dos arrendatários. Além disso, haverá um incremento do EBITDA das empresas, uma vez que todas as despesas do arrendamento serão contabilizadas como uma amortização, ou seja, após o EBITDA.por
dc.language.isoeng
dc.subjectIFRS 16eng
dc.subjectLeaseeng
dc.subjectEBITDAeng
dc.subjectFinancial statementseng
dc.subjectAudit firmseng
dc.subjectRetaileng
dc.subjectKey audit matterseng
dc.subjectArrendamentospor
dc.subjectDemonstrações financeiraspor
dc.subjectFirmas de auditoriapor
dc.subjectVarejopor
dc.subjectPrincipais assuntos de auditoriapor
dc.titleThe expected impact of IFRS 16 on retail companieseng
dc.typeDissertationeng
dc.subject.areaAdministração de empresaspor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EAESPpor
dc.subject.bibliodataContabilidade - Normaspor
dc.subject.bibliodataBalanço (Contabilidade)por
dc.subject.bibliodataArrendamento mercantilpor
dc.subject.bibliodataAuditoriapor
dc.subject.bibliodataComércio varejistapor
dc.rights.accessRightsopenAccesseng
dc.contributor.memberSheng, Hsia Hua
dc.contributor.memberRoggi, Oliviero


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record