Mostrar registro simples

dc.contributor.advisorTavares, Priscilla de Albuquerque
dc.contributor.authorFerreira, Marcia Morais
dc.contributor.otherTeles, Vladimir Kühl
dc.contributor.otherZylberstajn, Eduardo
dc.date.accessioned2018-03-07T14:31:51Z
dc.date.available2018-03-07T14:31:51Z
dc.date.issued2018-02-06
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10438/20413
dc.description.abstractA proposta da reforma da previdência, texto da PEC 287/16, voltou a ser tema no cenário político e econômico como parte de uma série de medidas para equalizar as contas públicas. O trabalho utilizou a PNAD e projetou a população que estará aposentada em um horizonte de tempo de 30 anos considerando as regras vigentes e analisou as características sócio demográficas de quem continua aposentado e de quem não conseguiria se aposentar com as mudanças nas regras, considerando as duas versões propostas: o texto inicial da PEC e a segunda versão, fruto do processo de negociação política. Os resultados mostram que as mulheres e os rurais são os que mais perdem na primeira proposta, efeito que é revertido pela segunda, sem grandes alterações no perfil das outras variáveis. A diminuição no valor da aposentadoria inicial é diferente entre regimes e entre propostas: no RPPS quanto maior a faixa de renda do contribuinte, maior é a perda proporcional na aposentadoria e a segunda versão produz perdas maiores. No RGPS, a primeira versão produz perdas maiores e os impactos são relativamente maiores nas faixas de 1 a 5 salários mínimos. Em ambos os regimes a mulher é a mais impactada e precisa contribui durante mais tempo para se aposentar. As projeções mostram que ambas as propostas não diminuem a proporção de contribuintes com renda de até um salário mínimo e não alteram seu benefício, ou seja, afetando de fato, a uma parcela menos carente da população.por
dc.description.abstractThe proposal of the pension reform, text of PEC 287/16, has once again become a theme in the political and economic scenario as part of a series of measures to equalize public accounts. The study used the PNAD and projected the population that will be retired in a time horizon of 30 years considering the current rules and analyzed the demographic characteristics of those who would still be retired and who could not retire with the changes in the rules, considering the two proposed versions: the initial text of the PEC and the second version, the result of the political negotiation process. The results show that women and rural women lose the most in the first proposal, an effect that is reversed by the second, without major changes in the profile of the other variables. The decrease in the value of the initial retirement is different between regimes and between proposals: in RPPS the greater the income range of the person, the greater is the proportional loss at retirement and the second version produces larger losses. In RGPS, first version produces larger losses and the impacts are relatively larger in the ranges of 1 to 5 minimum wages. In both regimes, woman is the most affected and needs to contribute during a longer period to retire. Projections show that both proposals do not diminish the proportion of people with incomes of up to one minimum wage and do not change their benefits, that is, by actually affecting a less deprived part of the population.eng
dc.language.isopor
dc.subjectReforma da previdênciapor
dc.subjectRGPSpor
dc.subjectRPPSpor
dc.subjectAposentadoriapor
dc.subjectPension reformeng
dc.subjectRetirementeng
dc.titleSimulações dos impactos da Reforma da Previdência sob a ótica da rendapor
dc.typeDissertationeng
dc.subject.areaEconomiapor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EESPpor
dc.subject.bibliodataPrevidência social - Brasilpor
dc.subject.bibliodataReforma administrativa - Brasilpor
dc.subject.bibliodataReforma previdenciáriapor
dc.subject.bibliodataAposentadoria - Brasilpor
dc.subject.bibliodataRenda - Brasilpor
dc.rights.accessRightsopenAccesseng


Arquivos deste item

Thumbnail
Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples