Mostrar registro simples

dc.contributor.authorNeri, Marcelo Côrtes
dc.contributor.authorBonomo, Tiago
dc.date.accessioned2017-12-21T17:22:41Z
dc.date.available2017-12-21T17:22:41Z
dc.date.issued2017-12-21
dc.identifier.issn0104-8910
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10438/19457
dc.description.abstractEducation related changes are often argued as the main reasons for changes in earnings distribuctions. However, omitted variable and measurement error biases possibly affect econometric estimates of these effects. Brazil experienced a sharp fall of individual labour income inequality betwenn 1996 and 2014. Coincidently, there are special supplements of PNAD on family background in these two years that allow us to better address the role played by falling education returns. This note takes advantage of this information to provide new estimates of the level and evolution of the returns to education in Brazil using variable premiums by education level, quantile regressions and pseudo panels.eng
dc.description.abstractMudanças relacionadas a educação são frequentemente consideradas as principais razões para mudanças em distribuição de rendas. Porém, variáveis omitidas e vieses de erros de mensuração possivelmente afetam as estimativas econométricas desses efeitos. O Brasil experimentou uma queda aguda na desigualdade de renda do trabalho individual entre 1996 e 2014. Coincidentemente, existem suplementos especiais da PNAD com histórico familiar nesses dois anos que nos permitem melhor abordar o papel da queda dos retornos de educação. Essa nota aproveita a disponibilidade dessa informação para fornecer novas estimativas do nível e da evolução dos retornos de educação no Brasil usando prêmios variáveis por nível educacional, regressões quantílicas e pseudo painéis. Em relação aos erros de mensuração, a estratégia empírica é usar a informação dos que responderam o questionário da PNAD mas controlar para vieses de disponibilidade. Encontramos evidência de viés de atenuação que reduz a média dos retornos de educação entre 14 e 31,5%. Do outro lado, a informação omitida da educação dos pais, também contabilizada para problemas de seletividade, reduz a estimativa de prêmio em 24%. Talvez o mais importante seja que a queda do prêmio da educação é altamente subestimada quando não se leva em consideração o histórico familiar. A maior queda de retornos ocorreu nos níveis intermediários de educação e renda. O efeito-coorte também mostra que a redução no prêmio educacional vem acontecendo há várias gerações. Finalmente, avaliamos como a educação dos pais afeta os resultados educacionais das suas crianças e como a mobilidade intergeracional de educação evoluiu nos últimos anos. Encontramos uma redução na persistência intergeracional de educação de 0.7 para 0.47 entre 1996 e 2014. Efeitos de Coorte em relação a mobilidade intergeracional também mostram que uma queda na persistência de educação é também forte para coortes mais novos, o que coincide com a queda dos prêmios de educação.por
dc.language.isoeng
dc.publisherEscola de Pós-Graduação em Economia da FGVpor
dc.relation.ispartofseriesEnsaios Econômicos;793
dc.subjectEducation Returnseng
dc.subjectIntergenerational Mobilityeng
dc.subjectOmitted Variable Biaseng
dc.subjectBrazileng
dc.subjectEarnings Inequalityeng
dc.subjectMobilidade intergeracionalpor
dc.subjectDesigualdade de rendapor
dc.titleReturns and intergenerational mobility of education during period of falling earnings inequality in Brazileng
dc.typeWorking Papereng
dc.subject.areaEconomiapor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EPGEpor
dc.subject.bibliodataMobilidade socialpor
dc.subject.bibliodataRenda - Distribuiçãopor
dc.contributor.affiliationFGV


Arquivos deste item

Thumbnail
Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples