Show simple item record

dc.contributor.advisorLora, Mayra Ivanoff
dc.contributor.advisorSheng, Hsia Hua
dc.contributor.authorUjikawa, Carolina Miyuki
dc.contributor.otherSanvicente, Antonio Zoratto
dc.date.accessioned2015-02-27T12:58:31Z
dc.date.available2015-02-27T12:58:31Z
dc.date.issued2015-01-27
dc.identifier.citationUJIKAWA, Carolina Miyuki. Empresas de controle familiar e informed trading: evidências de short selling no mercado brasileiro?. Dissertação (Mestrado Profissional em Finanças e Economia) - FGV - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2015.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10438/13448
dc.description.abstractThe aim of this study is to test whether, in the Brazilian market, family firms are more susceptible to insider trading. Tests done in US market demonstrated the effect of family control in informational content of short sales in publicly-traded companies. There, had found higher than normal levels of short sales in family controlled companies, mainly in times that anticipated negative earnings announcements. We did not find clear evidence that the fact that the company has family control could take it to submit or not insider trading, since for limitation of the model is not possible to compare the abnormal level of short sales for family-controlled companies and others, since this variable it is removed from the model. However, we observed in the fixed panel models with interactions that there are differences in the effect of some control variables for family-controlled companies or not on other variables of control, which could show that some influence the parental control could have on insider trading. We also tested whether state-controlled companies show more abnormal average daily short sales in moments that precede earnings surprises, and we did not find clear and direct evidence that this happened.eng
dc.description.abstractO objetivo desse trabalho é testar se no mercado brasileiro, empresas familiares são mais suscetíveis a insider trading.Testes feitos no mercado americano evidenciaram efeito do controle familiar no conteúdo informacional embutido em montagem de posições vendidas de companhias abertas. Lá, foram encontrados níveis acima do normal de posições short em companhias de controle familiar principalmente em momentos que antecipavam resultados negativos que iriam ser publicados. Não encontramos evidências claras de que o fato da companhia ter controle familiar poderia levá-la a apresentar ou não insider trading, já que por limitação do modelo não é possível comparar o nível de anormal short para empresas de controle familiar e outras pois essa variável é excluída do modelo. Entretanto, observamos nos modelos em painel fixo com interações que existe diferença do efeito de algumas variáveis de controle para empresas de controle familiar ou não sobre outras variáveis de controle o que poderia mostrar que alguma influência o controle familiar poderia ter sobre o insider trading. Testamos também se empresas de controle estatal apresentavam maior volume médio diário anormal de posições vendidas em momentos que antecediam surpresas de resultado, e também não encontramos evidências claras e diretas que isso acontecia.por
dc.language.isopor
dc.subjectFamily firmseng
dc.subjectShort sellingeng
dc.subjectInsider tradingeng
dc.titleEmpresas de controle familiar e informed trading: evidências de short selling no mercado brasileiro?por
dc.typeDissertationeng
dc.subject.areaEconomiapor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EESPpor
dc.subject.bibliodataInformações privilegiadas - Uso indevidopor
dc.subject.bibliodataEmpresas familiarespor
dc.subject.bibliodataEmpresas familiares - Administração - Brasilpor


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record