Show simple item record

dc.contributor.advisorRochman, Ricardo Ratner
dc.contributor.authorPinto, Daniel Mathias Alves
dc.contributor.otherSantos, José Evaristo dos
dc.contributor.otherRidolfo Neto, Arthur
dc.date.accessioned2015-01-13T17:45:46Z
dc.date.available2015-01-13T17:45:46Z
dc.date.issued2014-10-29
dc.identifier.citationPINTO, Daniel Mathias Alves. Desempenho dos fundos de investimento de ações brasileiro: um estudo do período de 2000 a 2014. Dissertação (Mestrado Profissional em Finanças e Economia) - FGV - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2014.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10438/13109
dc.description.abstractThe primary objective of this work is to answer if Brazilian equity funds were capable of creating value, as measured by Jensen’s alpha, during the selected period. After that it tried to identify the significate factors to value creation. Using the methodology developed by Jensen (1968), funds with significant alphas were separated from funds without them. The market portfolios used as benchmarks were Ibovespa and IBRx and the risk free rates were CDI, Selic and Account Savings (poupança). Regardless of the risk free rate or market portfolio, results obtained indicated that Brazilian equity mutual funds were not capable of generating alphas. Nevertheless, when compared with IBRx, mutual funds’ performance was even worse. After going through this process, a cross section regression was used to find the alpha generating significant variables, and the conclusion was that the larger the fund, the greatest the alpha it would generate. However, the older the fund and the higher the fees, the lower the alpha generated. Finally, for fund managers with positive significant alphas, risk was positively correlated with performance and for the ones with negative significant alphas, risk was negatively correlated with performanceeng
dc.description.abstractO objetivo primário deste trabalho é verificar se os fundos de investimento em ações brasileiros criaram valor, medido pelo alpha de Jensen, dentro do período selecionado. Em seguida, busca-se identificar os fatores determinantes dessa criação de valor. Utilizando a metodologia desenvolvida por Jensen (1968), inicialmente foram separados os fundos que geram alphas significativos dos que não geram. Os benchmarks de mercado utilizados foram Ibovespa e IBRx e as taxas livres de risco foram Taxa Selic, CDI e Poupança. A conclusão foi que os fundos de ações brasileiros, nos períodos estudados, não foram capazes de gerar alpha, independentemente do benchmark ou da taxa livre de risco. No entanto, os resultados foram piores quando comparados com o IBRx. Após esse processo, foi utilizada uma regressão cross section para encontrar quais as variáveis significativas para geração de alpha. Concluiu-se que quanto maior o fundo, maior o alpha gerado. No entanto, quanto mais velho o fundo e quanto maior a taxa de administração menor será o alpha gerado. Por fim, para gestores que geram alphas positivos, cada unidade adicional de risco gera valor e, para gestores com alpha negativo, cada unidade adicional de risco destrói valorpor
dc.language.isopor
dc.subjectHot handseng
dc.subjectIcy handseng
dc.subjectPersistência de performancepor
dc.titleDesempenho dos fundos de investimento de ações brasileiro: um estudo do período de 2000 a 2014por
dc.typeDissertationeng
dc.subject.areaEconomiapor
dc.contributor.unidadefgvEscolas::EESPpor
dc.subject.bibliodataFundos de investimento - Brasilpor
dc.subject.bibliodataAções (Finanças)por
dc.subject.bibliodataTítulos (Finanças)por


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record